Ensolarando-me .:. O Anseio Mais Secreto: "I want to be perfect" .:.

A imperfect girl in an imperfect body for the parameters of an imperfect society




22/12/2010

 Mudei de endereço. Meu novo blog é

http://ensolarandome.blogspot.com/

Confidenciado por Tally às 21h46

Enviar esta mensagem

13/11/2010

Olá meninas! Como vão?

Dessa vez reapareci rápido e inclusive antes de ter tido tempo de comentar nos blogs de vocês, porque quero compartilhar já agora uma reviravolta que aconteceu na minha vida. Calma!, não é nada de ruim =)

Bom, fazendo um retrospecto rápido, desde que eu me entendia por gente, eu achava que se esforçar para se encaixar no padrão era fútil, que era possível ser amada sem ser bela, que o importante era o interior, blablablá. E que no fundo eu não precisava de homens, marido, nada: podia ter a minha carreira, a arte, vida política, etc e que relacionamentos amorosos eram secundários. Depois de viver 18 anos de acordo com isso sem nunca ter sido amada ou desejada, só ridicularizada e oprimida, eu resolvi chutar o balde para o que é politicamente correto e correr atrás de ter boa aparência, para conseguir despertar desejo, e quem sabe fazer isso evoluir para amor. Acabei me conformando com isso ser o único caminho para me desafogar da solidão na qual sempre vivi. Pensei: "é injusto, mas só me resta me resignar. É assim que a vida é".

Agora, bem, aconteceu algo para colocar as minhas novas convicções de ponta cabeça...

Cara, sabe uma coisa que me DEPRIME, PRA VALER? Discussões feministas sobre cantadas. Começam falando que cantada é uma demonstração de que a mulher é vista como objeto sexual do homem (ou você já viu uma mulher chamando um homem de "gostoso" na rua?) Depois, fala-se que se você seguir reto sem responder, está aceitando o papel passivo e de objeto. Até aí, até que concordo, mas a partir disso começa o que me dói: cada uma começa a contar as suas histórias. De quando respondeu a esses caras vulgares e que reação recebeu, de quando teve que fugir de um cara que a perseguiu, do medo que sentimos de mexer com um cara que pode estar armado, reagir de forma violenta, resolver praticar um estupro, etc. E sabe por que me dói?

Por que eu não recebo cantadas. Eu não tenho histórias para contar.

 

 

 

 

 

 Daí vem alguém e diz: "ah, mas é a mulher que se objetifica... veste roupas curtas, etc." Daí as outras começam... "ah não, mas quando eu estava de roupa rasgada, suja, longa, horrorosa, sem maquiagem, o-raio-que-as-parta, eu recebi uma cantada super agressiva assim assim e assim..."

E eu? Bem... nem passando de microssaia na frente de uma construção eu não atraio olhares. Que dirá elogios.

E sabe, não é só cantadas que eu não recebo. Nunca recebi flores, nunca usei uma aliança, nunca passei um dia dos namorados acompanhada. Nunca fui apresentada a família de um sujeito, nunca fui chamada de meu amor, nunca ganhei presentes. Não sou mais virgem, mas nunca transei por amor. Ou com quem me amasse. Nunca fui pedida em namoro.

Entendem por que eu preciso ser bela?

Então eu comecei a trabalhar, para juntar dinheiro para riscar os itens da minha lista de compras de roupas, sapatos, maquiagens, tratamentos estéticos e cirurgias plásticas que eu vou precisar para poder ser considerada bonita. E fui trabalhar num lugar onde não exigem muito da aparência, meu emprego atual. Mas eis que...

Um colega de trabalho se apaixonou por mim.

E eu já não sei mais o que pensar.

PS: Estou colocando duas fotos minhas abaixo para vocês saberem como eu sou. Tirei especialmente para vocês, girls. Usei uma blusa decotada para mostrar como realmente não tem nada onde deveriam estar os seios. Depois ainda tiro fotos digamos top-less e, um dia, ainda poderei mostrar o antes e o sonhado depois. *-* Ah! Acho que minha lista de coisas que nunca me aconteceram do post já é argumento o bastante para vocês entenderem que não vai adiantar dizer que eu já sou bonita, então nem tentem ;) Bom, pelo menos eu gosto do meu rosto. Força para todas vocês, ainda vamos ser vitoriosas.

Beijos =*****

Eu

Eu 2

Confidenciado por Bellatrix às 23h05

Enviar esta mensagem

03/11/2010

Olá meninas! Novamente levei um mes para reaparecer.

Vou começar fazendo um apelo. De acordo com o meu contador de visitas, já recebi 1815 acessos neste blog. No entanto foram apenas 130 comentários - valiosíssimos, é claro. Gostaria de pedir que, por favor, quem anda me visitando sem deixar recados, fale a sua opinião, positiva ou negativa, desde que com boa educação. Será que as meninas vêem aqui esperando encontrar o diário de uma ana ou mia, daí lêem o post, não se identificam e não falam nada? Será que tem homens aparecendo por aqui? OO' No começo eu achei que eram homens que vinham ver as fotos de mulheres bonitas XD daí eu mudei a url das imagens para homens atrás de fotos de gostosas não serem redirecionados para cá pelos motores de busca, mas o número de acessos continua alto mesmo assim. Então, eu gostaria de entender isso.

Mudando de assunto. A cirurgia ficou para 5 de janeiro, mas provavelmente vai demorar mais um pouco. Estou correndo atrás dos exames pré-operatórios, e já estou contando que um deles vai me impedir de fazer a cirurgia imediatamente. Provavelmente eu tenho anemia, vou ter que tratar primeiro para operar depois. Já dei a entrada de 55% e hoje paguei uma segunda parcela. Ufa! Agora já babo nas roupas que vou comprar, mas elas vão ficar para o ano que vem mesmo. Por agora, estou completando a minha necessaire com maquiagens, já comprei quase tudo que preciso, e estou a duras penas introduzindo o hábito de me maquiar todos os dias ao sair de casa. Eu falho nisso às vezes, e tem dias que mesmo com maquiagem me sinto horrível (hoje foi um deles). Mas eu devo ser pior ainda sem né?

Um bom hábito que eu já adquiri foi o de passar creme para prevenir o aparecimento de estrias, duas vezes ao dia, todos os dias. Lista de metas:

- Passar protetor solar todos os dias ao sair de casa

- Me maquiar sempre antes de sair

- Fazer as unhas semanalmente

- Fazer a sombrancelha a cada 15 dias

E depois, quando eu tiver mais dinheiro:

- Fazer escova definitiva uma vez a cada 3 meses

- Fazer hidratação no cabelo todo mes

- Fazer limpeza de pele todo mes

- Freqüentar uma academia para modelar braços e bumbum

Eu simplesmente não agüento mais a insatisfação com o meu corpo. Ver tantas mulheres belas todos os dias, ao vivo ou em fotos; ver casais, mulheres sendo amadas e desejadas; me sentir um lixo todos os dias ao abrir o guarda-roupas... chega, chega, chega! Como eu conseguia viver antes? Como eu suportava apenas com tristeza a rejeição que eu recebia de todos? Como eu fazia para pensar também em outras coisas? Como eu vou me livrar dessa obsessão agora?

Será que um dia eu vou ser livre? E quando eu for bela enfim, conseguirei redirecionar o foco para a vida acadêmica, e a profissional? Ou será que o dia em que eu vou me olhar no espelho e me sentir bem nunca chegará? Vamos lutar, vamos vencer, vamos ser felizes. Perseverar por mais um dia... nós somos capazes, nós iremos conseguir.

Força para todas vocês

 

Confidenciado por Bellatrix às 21h16

Enviar esta mensagem

05/10/2010

 

[POST EDITADO]

Olá meninas! Depois de quase um mes, estou de volta. Sinto um friozinho na barriga porque tenho expectativa de passar pela cirurgia ainda agora em outubro, se tudo der certo, embora eu tenha feito algumas bobagens, que podem acabar adiando-a. Peço para que torçam por mim. Tudo de bom na minha vida está adiado para "depois que eu tiver o corpo de que preciso", por isso é tão importante atingir esse objetivo depressa.

Esses dias tenho tido um reforço nos meus motivos: arranjei uma opressora no ambiente de trabalho. Uma mulher lindíssima, vestida de maneira muito elegante, sempre fortemente maquiada, resolveu começar a cobrar que eu use maquiagem. O velho lenga-lenga de absolutamente sempre, parece que essas mulheres-objeto têm um software padrão instalado, um CD gravado que começam a tocar quando convém.

"Por que você não usa maquiagem? Você é uma mulher tão bonita, deveria se arrumar mais. Você namora, Bellatrix? Aposto que não. Precisa se maquiar, arranjar um homem. Você é tão quietinha! Por que você é tão tímida? Você está triste? Aconteceu alguma coisa? Por que você não faz X no cabelo? Y na pele? Z no guarda-roupas? Quer que eu te empreste a minha maquiagem? Quero ver você usar sempre heim? Quantos anos você tem? Ah, tão novinha... Você é virgem? Ah, não acredito! Sério? Com quantos anos você perdeu? Ah, com essa cara de quietinha... Você é evangélica? Ah, eu achei que você fosse. Ah, não sei, porque você tem cara. E agora, por que você não está namorando? Precisa sair mais, ir na balada. Você gosta de balada? Do que você gosta então?"

Etc, etc... como um disco arranhado. TODAS discursam idêntico. E eu achando que depois de terminar os estudos me veria livre disso. Que nada, não é só na escola, no ambiente de trabalho também. Pelo visto não são padronizadas só na aparência, o são também no cérebro.

Eu queria perguntar para cada uma delas de volta: por que a minha aparência te incomoda? Por que você acha que eu tenho que ser igual a você? Será que você não percebe que está fazendo um favor às indústrias de cosméticos, de dietas, de academias, etc e ajudando-as a desviar a renda, a auto-estima, o tempo produtivo e às vezes até a saúde de milhares de mulheres ao reproduzir esse discurso?

Juro que se eu não tivesse opressoras mulheres, me emanciparia do sistema. Nem a mídia de massas fez tanto dano na minha mentalidade quanto as garotas com quem convivi. Se todas nos juntássemos para irmos contra isso, nos libertaríamos da ditadura da aparência, poderíamos ter amor-próprio sem consumir e sem auto-agressão. Mas perseguimos umas às outras, e aqui estou eu, tentando ser igual a ela (não no comportamento, no corpo), porque não quero mais estar do lado das oprimidas, quero estar do lado das vitoriosas. É isso ou ser engolida pelo meio. Não tenho uma sociedade B, então como esta é a que me resta, tenho que lutar para viver nela com o máximo de qualidade possível.

Ultimamente minha maior batalha tem sido contra a balança. Parece que todos os meus esforços têm sido tão insuficientes...! Em 2 meses, só consegui 2 quilos. Nesse ritmo, quanto tempo levarei para ter o corpo que preciso?? É incrível como certas pessoas parecem ter a faculdade de mudar o próprio peso rápido, enquanto eu com muita luta quase nada consigo. Mas talvez se eu continuar assim seja melhor, para não ganhar estrias e tal.

Enfim, amanhã tomo mais providências em busca do meu sonho - saco dinheiro para pagar a cirurgia, começo a agendar os exames pré-operatórios (acho bom que eles saiam rápido!), hoje ainda vou procurar uma segunda clínica na qual agendar uma consulta (quero ouvir a opinião de um segundo especialista), e vou estudar a possibilidade de pegar empréstimo em banco. Preciso parar de ser a coitadinha, para ser a desejada. E todas nós vamos conseguir, continuemos lutando.

Força para todas vocês

Confidenciado por Bellatrix às 22h12

Enviar esta mensagem

10/09/2010

Luto todos os dias pela beleza, porque quando eu conquistá-la, eu...

♦ Não precisarei ter vergonha do meu corpo

♦ As pessoas vão me tratar com respeito, e não com pena

♦ Vou poder usar todas as roupas bonitas que sempre quis

♦ Não precisarei ter inveja de ninguém

♦ Vou poder ficar nua na frente de um homem sem constrangimentos

♦ Poderei conseguir namorados

♦ Serei admirada

♦ Vou estar dando a volta por cima de todas as mulheres que me criticaram e humilharam no passado

♦ Vou poder tirar fotos

♦ Vou me olhar no espelho e me sentir FELIZ e REALIZADA (e não enojada e deprimida)

♦ Vou poder ir a festas, piscina, praia, etc

♦ Não serei mais criticada pelas costas

♦ Vou perder a timidez e a introversão

♦ Vou ser amada e desejada por um homem

♦ Terei vantagem em várias situações sociais, como entrevistas de emprego

♦ Serei a invejada, ao invés de invejar às outras

♦ Terei auto-confiança o bastante para abordar rapazes, tomar iniciativas, conversar com naturalidade, etc

♦ Não me sentirei inibida em falar em público e conhecer gente nova

♦ Não serei mais tratada como infantil, menininha, enfim, menos mulher do que as gostosas

♦ Não terei mais que agüentar mulheres me olhando com ar de superioridade

♦ Não terei mais que agüentar homens me olhando como aquela garota inteligente mas que só serve para ser amiga

♦ Vou ter auto-confiança para fazer tudo o que eu sempre sonhei mas a vergonha na cara nunca me deixou, como:

   ► Dançar, até de maneira sedutora - nada pior que uma vaca nojenta numa festa dançando com desenvoltura e se achando a gostosa

   ► Me vestir como mulher e não como menina, às vezes até de forma provocante, sem as pessoas pensarem "coitada dessa baranga, por que não veste algo mais discreto pra não chamar a atenção para toda essa feiura?" "nossa essa ridícula tá se achando com essa roupa sexy, não tem vergonha de mostrar essa merda?" e outras coisas assim que mulheres falam umas das outras pelas costas, ou no mínimo pensam

   ► Abordar rapazes sem certeza de levar um fora

♦ Vou fazer os homens que me desprezaram se arrependerem

♦ Vou fazer as mulheres que me humilharam se sentirem despeitadas

♦ Terei o meu talento reconhecido sem ter que fazer esforço dobrado (sim porque uma mulher fora do padrão tem que ser 100 vezes mais talentosa que uma magra e linda para conseguir alguma coisa)

♦ Ao invés de me indignar com os benefícios concedidos a quem não merece o que tem por talento e sim pela aparência, EU passarei a ser a beneficiada

♦ Vou parar de sentir aquela fisgada incomoda de infelicidade e abaixar a cabeça ao ver um casal se beijando, uma mulher atraente, uma capa de revista...

♦ Enfim, serei livre, realizada e plena!

Espero que tenham achado o post inspirador meninas. Se quiserem dividir comigo os seus próprios motivos e acrescentar itens à lista, fiquem à vontade! =^^= Sempre que estiveram mal, pensem nas coisas que vão poder fazer e realizar ao conquistar seus objetivos, e continuem fortes!

Beijos

Confidenciado por Bellatrix às 17h55

Enviar esta mensagem

05/09/2010

Auto-Diagnóstico: dismorfofobia

"(...) [No] transtorno dismórfico corporal (...) os pacientes apresentam ansiedade social elevada, esquiva de situações sociais e medo de crítica e comentários adversos sobre sua aparência. Isolamento social e falta de habilidade social geralmente estão presentes (...). É definido como um sentimento de feiúra ou defeito físico que o paciente percebe a despeito de sua aparência normal. (...) A preocupação do indivíduo é acentuadamente excessiva (...) [e] causa sofrimento clinicamente significativo ou prejuízo no funcionamento social ou ocupacional ou em outras áreas importantes da vida do indivíduo. (...) Qualquer (...) parte do corpo pode ser o foco de preocupação (...) Embora a queixa seja freqüentemente específica, pode ser, por vezes, vaga, e alguns indivíduos evitam descrever os seus defeitos em detalhes podendo se referir à sua "feiúra" em geral.

Os indivíduos com esse transtorno freqüentemente pensam que os outros estão observando o seu "defeito", o que pode levar a uma esquiva das situações sociais que, levada ao extremo, chega até ao isolamento social. Esses pacientes com freqüência buscam e recebem tratamentos médicos gerais, dentários ou cirúrgicos para a correção de seus defeitos imaginários, em uma peregrinação por diversos profissionais, principalmente cirurgiões plásticos, sem, no entanto, corrigir os supostos defeitos.

Embora existam poucos estudos sobre a prevalência desse transtorno, a literatura indica que parece ser mais comum do que se supunha. Preocupações culturais acerca da aparência física e da importância da apresentação física adequada podem influenciar ou ampliar preocupações acerca da imaginada deformidade física.(...) O período da primeira manifestação é, em geral, do início da adolescência até a idade de 20 anos, aproximadamente.

A freqüência de comorbidade do transtorno dismórfico corporal com outros transtornos é desconhecida, embora possa estar associada com transtornos depressivo, delirante, fobia social e obsessivo-compulsivo. Alguns autores têm sugerido que certos transtornos de personalidade predispõem ao transtorno dismórfico corporal, como esquizóide, narcisista, obsessivo-compulsivo e evitador. (...)

Alguns pacientes esquivam-se de espelhos em uma tentativa não bem sucedida de diminuir o desconforto e a preocupação. Por terem a certeza de que os outros estão olhando, falando sobre os seus defeitos, comumente tentam camuflá-los com maquiagem, chapéu, luvas, roupas. Freqüentemente, comparam a sua parte feia do corpo com a dos outros. Isolamento social, introversão, baixa auto-estima podem também coexistir. Alguns relatos sugerem que sem tratamento o transtorno usualmente persiste por anos e algumas vezes por toda a vida.

A literatura consistentemente enfatiza o sofrimento que pode ser causado por esse transtorno. Dificuldades sociais e conjugais podem ocorrer como resultado do TDC, a ponto da vida do paciente ficar profundamente desestruturada. O prejuízo funcional pode ser resultado do tempo que alguns pacientes dispendem com suas preocupações, negligenciando outros aspectos da sua vida. O desconforto pode ser tão intenso que pode vir a causar ideação suicida. Uma complicação específica é a busca por cirurgia plástica e outros procedimentos médicos, raramente os pacientes ficam satisfeitos com o resultado.

(...) O TDC inclui insatisfação, preocupação e exagero do defeito percebido, uma deterioração significativa no desempenho ocupacional ou social e ansiedade acentuada."

Fonte: http://www.amban.org.br/profissionais/artigos.asp?hyperlink=artigos&art=12

 

"A apreciação da imagem corporal é baseada na nossa capacidade física e mental e no relativo sucesso que obtemos no meio em que vivemos. A aprovação do meio irá produzir efeitos psicológicos diversos, variando entre a confiança e insegurança. Estes sentimentos de auto-confiança ou inadequação irão influenciar a nossa capacidade de lidar com outras pessoas e a postura diante de problemas e questões normais da vida. A repetição deste processo por milhares de vezes irá moldar a auto-estima e dará a noção da capacidade desse indivíduo.

 Por outro lado, a leitura pelos outros das nossas forças e fraquezas irá determinar a resposta e o comportamento dos outros em relação à nós mesmos.

Perfil das mulheres que procuram mamoplastia de aumento:  Pacientes jovens, saudáveis, de classe sócioeconômica elevada. [Por vezes são] pacientes com Distúrbios de auto-imagem: submetidas frequentemente à psicoterapia, possuem auto-estima baixa, prevalência elevada de depressão, tentativas de suicídio e doenças mentais, inclusive a síndrome dismórfica corporal, comparada com a população geral.

 

 

Início dos sintomas na adolescência tardia. Prevalência máxima aos 30 anos. Tendência de se tornar uma doença crônica ao invés de evoluir em surtos. 76% dos pacientes são mulheres. [Costuma ter] Associação com outras doenças psiquiátricas como transtornos de personalidade e do humor, abuso de drogas e distúrbios alimentares.

Tratamento efetivo: com drogas anti-depressivas e terapia cognitivo-comportamental.

 

 

Um estudo com 250 pacientes com SDC revelou que:

 - 76%  procuraram um cirurgião plástico.

 - 66% obtiveram tratamento cirúrgico.

 - Até  40% dos pacientes têm idéias suicidas e de auto-mutilação."

Fonte: http://www.flumignano.com/medicos/Download/IMAGEM_CORPORAL_DR_GABRIEL_ZEITOUNE_2008_PUC_2008.pdf

 Pelo que andei lendo, aliás, anorexia é um caso específico de dismorfofobia (ou transtorno dismorfico corporal). Talvez agora eu tenha entendio por que me identifico tanto com anorexicas apesar de passar muito longe de ser uma (muito pelo contrário, sempre tive insegurança como fato de ser considerada por todos "magra demais".) Mas eu não vou procurar psicoterapia ainda. Como eu falei, vou fazer a minha cirurgia primeiro. E procurar exercer atividades que mudem a minha relação com o meu corpo (prática de esportes, aprender a dançar, fazer aulas de teatro, estudar sobre linguagem corporal). Se continuar muito mal, procuro ajuda médica. Isso se os meus devaneios de auto-mutilação e suicídio não piorarem muito. Sei que a minha preocupação com a minha aparência tá num nível patológico e que está piorando demais a minha qualidade e vida, mas ainda não acredito que meu problema é imaginário - soutiens tamanho PP são um problema perfeitamente concreto e mensurável! ><'

 Lembrando que jamais procurei ajuda médica, apenas encontrei essas informações na internet e me identifiquei. Não sei agora em que sites, mas vi em mais de um que 9% das pessoas que procuram cirurgiões plásticos têm dismorfofobia. Tenho 91% de chances de não ter nada, portanto. =)

 Enfim meninas, continuemos lutando!

 Beijos a todas =*

 

Confidenciado por Bellatrix às 17h12

Enviar esta mensagem

29/08/2010

 Me sinto vazia, me sinto só, me sinto invadida por pensamentos obsessivos por esse único propósito - ser bela - a todo momento. Não consigo aproveitar mais nada na vida, não consigo curtir o que tenho de bom hoje, tenho crises de culpa, e pela primeira vez em meses tive uma nova crise de depressão. Estou com medo de que a doença volte, não quero isso para a minha vida de novo. Nada que eu faça jamais será bom o bastante, porque não basta ser bela, é preciso ser naturalmente bela, dom com o qual eu não nasci, preciso de correção cirúrgica. Trabalhar em um shopping é um massacre diário: milhares de manequins, de fotos de mulheres bonitas, de roupas lindas nas quais não posso entrar à venda, de mulheres bonitas e bem vestidas comprando, de casais passeando de mãos dadas. Só eu de miserável, solitária, deformada, horrorosa e triste. Não consigo achar isso "inspirador", só consigo sentir inveja, tristeza e auto-rejeição, zero de inspiração. O tempo não passa, eu estou envelhecendo enquanto isso, logo estarei com 20 anos não-vividos, cheia de mágoas das coisas que eu nunca pude fazer pela minha alma habitar essa aberração pavorosa a que chamam de corpo. 20 anos solteiros, 20 anos celibáticos, 20 anos solitários. Quero sumir. Quero desistir. Quero morrer.

Confidenciado por Bellatrix às 00h09

Enviar esta mensagem

26/08/2010

Olá meninas! Como vão?

Sei que demorei enormemente para aparecer... mas estive um tanto quanto desmotivada. Também não queria escrever repetidamente sobre os mesmos assuntos. Mas agora que mais novidades aconteceram, resolvi voltar. ^^ Vou dividir o post em assuntos, para cada uma ler o que tiver tempo, como faço quando fica muito longo.

*** Feminismo:

A coisa mais significativa que andou me acontecendo foi uma série de conversas com garotas militantes de partidos políticos que atuam na minha universidade. Contei a elas sobre algumas das minhas crises, como me sentir mal em relação ao meu corpo, e culpada por não conseguir "me aceitar do jeito que eu sou", como entoa o mantra do senso comum. Foi muito produtivo porque elas me deram respostas positivas, relatando já terem passado pelo mesmo, ou terem as mesmas neuras, e sendo muito compreensivas. Eu que esperava ataques e incompreenção... nossa, isso foi um alívio. XD

Todas temos as mesmas histórias: nos aceitávamos até uma determinada parte das nossas vidas escolares, quando começamos a sermos pressionadas a mudarmos de corpo para agradar aos colegas e conseguir parceiros. Resistimos, por ideologia, e depois acabamos cedendo, geralmente após os 18 anos. E hoje elas se declaram já em paz com seus corpos. Eu ainda estou na luta. Mas claro que isso é só pra fazer um social, cada uma sabe o que sofre quando vê uma thinspo, uma capa de revista ou uma mulher bonita e bem acompanhada - de acordo com uma pesquisa da Unilever, mais de 92% das mulheres gostaria de mudar algo em seu físico e 66% deixa de fazer atividades básicas da vida por causa da própria aparência (como ir a praias, piscinas, praticar atividade física, trabalhar, estudar, entrevistas de emprego, emitir uma opinião, festas e outras). 10% chegam a deixar de ir ao MÉDICO. De acordo com pesquisas da mesma empresa, realizada em 85 países, dos 5 continentes, só 2% das mulheres se declaram bonitas. Dentre as brasileiras, apenas 1%. Então eu relevo quando elas dizem já se aceitarem e tal. Mesmo que seja verdade, muitas delas não são bonitas e isso não vai mudar com mais amor-próprio, só é bom para a qualidade de vida delas mesmas, mas aposto que no fundo elas sabem que estão se enganando porque dói menos.

Uma coisa chata é que isso me deixou com a impressão de que eu estou sempre um passo atrás, comparada com as pessoas da minha idade, quando o assunto é maturidade, amadurecimento. Elas já passaram pelo que eu passo hoje, eu sempre me sinto defasada. Talvez ter um corpo infantilizado seja um dos fatores. Somando com a educação restritiva que eu tenho em casa que me permitiu poucas experiências de vida para desenvolvimento pessoal, e talvez outras coisas que eu não sei rastrear. O mais importante é resolver o problema, agora que ele foi localizado.

*** Reverse thinspo:

Uma das minhas colegas falou algo que me lembrou vocês. Ela é bem gorda, coitada, e além disso com uma estrutura óssea que não favorece sabe? Disse que as amigas dela pressionavam para ela fazer dietas, ela até tentou por um tempo, achou horrível e desistiu. Hoje ela declara se aceitar muito bem assim. Fiquei pensando que isso é conversa de derrotada: guerreiras são vocês, que ao invés de bater o pé que o mundo tem que nos aceitar feias, procuram ser o melhor que conseguem. Realmente fazer dieta não é fácil, se conformar com a gordura é bem mais! Não acho legal simplesmente se conformar em ser um poço de banha e pronto, o capitalismo que mude de exigências estéticas. Obesidade também é problema de saúde!

 

*** Silicone:

 

Li algo esses dias que me deixou animada.

Uma pesquisa realizada pelo Qualibest, a pedido de ISTOÉ, apontou que 63% dos homens são atraídos por seios turbinados. Adorei a notícia. =) De acordo com o jornal portugues Destak, 25% dos homens até preferem seios de silicone aos naturais e 33% pagaria uma cirurgia dessas para a sua parceira (preciso arranjar um desses!!). Como já estou aprovada no emprego, agora só preciso que o tempo passe. No começo do mes que em mais um passo: fazer os exames pré-operatórios (só estou esperando para que minha mãe pague por eles).

 

Enfim meninas, é isso, continuem fortes e sempre em busca dos nossos ideais.

Beijos a todas

Confidenciado por Bellatrix às 23h55

Enviar esta mensagem

11/08/2010

Há um labirinto na estrada da minha vida. Eu poderia tê-lo contornado e seguir caminho, mas resolvi entrar, pois dentro dele há um tesouro que eu quero carregar comigo até chegar ao fim da caminhada.

Criei coragem, tracei uma rota para encontrar a porta de saída, e agora estou dentro dele, dando os meus passos trêmulos, e oprimida pelo medo de não conseguir achar a escapatória, ou pior, de me acostumar com o labirinto e desistir de sair dele, que é tentadoramente confortável. E se eu ficar aqui para sempre? Sei que não quero, por às vezes encontrar outras pessoas, que já estão aqui há mais tempo do que eu, e ver que não quero ser como elas. Algumas entraram sem nem perceber, outras parecem já ter nascido aqui, outras ainda vieram por fuga ou desistência das estradas que seguiam. Há as que já perceberam que não encontrarão a porta, e acham que é impossível. As que entraram visando não sair. E as que simplesmente já desistiram. Não posso ser como nenhuma delas.

Só tenho que me agarrar ao objetivo de voltar melhorada para a estrada, e continuar. Certo? Bem, espero que sim. Não quero viver cercada por estas paredes para sempre.

Meu maior medo é me acomodar e continuar onde estou, estagnada. Usufruindo do meu tesouro aqui mesmo. Seria covarde desistir de prosseguir, não devo fazer isso...

Eu não sei onde é a porta de saída, mas lembro por onde entrei. Poderia sair pela entrada, sem o tesouro, contornar o labirinto e seguir adiante. Meu segundo maior medo é: ir embora sem conquistar nada e todo o meu sofrimento aqui dentro não adiantar.

Não sei mais quem sou, nem se valeu a pena entrar. Estou esgotada de procurar e não encontrar - tanto o tesouro, quanto a porta.

Só sei de uma coisa: sem a minha recompensa, eu não vou sair.

Confidenciado por Bellatrix às 19h56

Enviar esta mensagem

04/08/2010

 

Olá meninas! Como vão? Espero que esteja tudo certo com vocês e que todas estejam sendo bem-sucedidas em busca de seus ideais.

Por aqui eu tenho andado lentamente, quase sem fazer progressos, apenas esperando que o tempo passe, e fazendo o possível para me controlar. Por que tem que ser tão difícil?

Quero ser bonita, desejada, amada, aceita... me olhar no espelho e me sentir bem, poder usar todas aquelas roupas lindas, superar a minha insegurança com o meu corpo, viver mais de bem comigo mesma, sabem? Parar de ter inveja das outras mulheres, de ser sozinha e não conseguir um companheiro, de ter mal-estar quando vejo uma garota bonita e me pergunto por que não posso ser como ela, ou quando vejo um casal se beijando. Depois eu penso "que inspiração, um dia serei assim também!" e "um dia também vou ser amada e desejada". Mas um momento antes de pensar isso, sabem, vem aquela dor, aquele sofrimento, uma sensação de incapacidade, de estar incompleta. Um dia eu consigo... um dia... por que esse dia não pode ser hoje??? Por que esse dia não chega nunca???

Por que algumas parecem que já nascem destinadas a ter tudo isso e eu tenho que batalhar tanto para conseguir? Por que eu não consigo fazer o que todos mandam e "me aceitar do jeito que eu sou"? Por que o tal príncipe que vai me "amar e aceitar" "do jeito que eu sou" até hoje não apareceu? Por que eu tive que nascer em um corpo amaldiçoado como este?

Eu estou cansada de o relógio não andar, de me empenhar e não conseguir acelerar a realização dos meus sonhos mesmo assim, de não ver os resultados pelos meus esforços, cansada. Cansada de me olhar no espelho e me sentir uma merda. Cansada de trabalhar num shopping e ter que passar a todo momento por todas aquelas vitrines lindas, ver todas aquelas fotos de mulheres deslumbrantes, cansada de não ser uma delas. Cansada de esperar por um príncipe inexistente, que todos dizem que eu devo aguardar, mas que na verdade nunca vai aparecer. Cansada ouvir as pessoas me mandarem aceitar o que não deve ser aceito, mas mudado. E de tentar aceitar como elas falam, mas não conseguir de modo algum.

Chega! Eu quero avançar no tempo, pular essa má fase, viver só do momento em que eu realizar o meu sonho em diante.

Agora eu simplesmente quero mudar esse corpo nojento. Cada dia dentro deste casulo dói.

Estou caminhando a passos de tartaruga: assito vídeos no youtube e visito os sites com informação especializada, tento por o que dá em prática. Enfim, conhecimento é de graça. =P Mas é tão irritante não poder aplicar!

Preciso aprender a amar o presente, de alguma forma. Me distrair talvez. Mas mesmo durante alguma atividade, uma foto ou uma mulher bonita me distraem; um homem interessante, que eu gostaria que se interessasse por mim de volta... e eu não consigo usar isso só como inspiração e um sentimento de fracasso toma conta.

Enfim chega deste post eu acho, na verdade eu tinha escrito outro um tanto diferente, mas resolvi modificar para que vocês pudessem se identificar mais com a leitura, ao invés de escrever algo muito específico sobre mim mesma. Então se tiver ficado chato eu lamento, eu bem que tentei ser bem verdadeira e ao mesmo tempo pensar em vocês que estão lendo enquanto escrevia. Mais um desabafo, mais um dia ruim. =/

Estou aqui torcendo por todas vocês meninas, boa sorte a todas e continuem fortes

Beijos

Confidenciado por Bellatrix às 22h12

Enviar esta mensagem

01/08/2010


Olá meninas! Como estão? Bem, o post ficou enorme, então vou dividir em partes. Caso alguém não queira ler tudo, só trechos, eu compreendo.

 *** VISITA À CIRURGIÃ

 Lembram que eu disse que iria conhecer uma clínica onde fazer a cirurgia? Então, eu fui, a médica me passou segurança e credibilidade, mas... me deu uma má notícia. Não tenho condições de colocar uma prótese do tamanho que eu pretendia (queria deixá-los levemente grandes, sem exageros), porque eu realmente tenho muito pouco tecido mamário para isso. Eu poderia colocar, com certeza, até 260ml. No máximo, 280ml com alguma sorte, o que deixaria eles médios mais para pequenos.
 Isso acho que é uma prova de que eu não sou louca, não tenho um problema psicológico e que meus seios são sim muito pequenos - tem mulheres da minha altura e peso que põe 350ml ou mais! Em mim, simplesmente... "não cabe", ou foi o que a médica disse.
 A boa notícia é que eu poderia começar com 260ml e, depois de pelo menos 6 meses, trocar por uma de 80 a 100ml maior. A parte ruim é que duas cirurgias significaria o dobro de despesas e de dor física, além de mais tempo até atingir o resultado final. Pretendo então começar com 260ml e ver se consigo me sentir bem com isso. Se não, depois de pelo menos 8 meses eu penso em trocar por outras maiores. Na verdade quase que com certeza eu teria que esperar mais, ou detonaria o meu orçamento. Se eu conseguir 85cm de busto com a primeira cirurgia, já fico super satisfeita! Para quem tem 70 de busto, 60 de cintura e 85 de quadril, fica proporcional, "não-vulgar" (tem palavra melhor?) e suficiente, mas acho que não vai ser possível. =/
 Ainda não sei se vou fazer por cima ou por baixo do músculo e o formato da prótese, mas sei que vou ouvir mais um médico pelo menos antes de me decidir.

 *** SITUAÇÃO NA EMPRESA:

 Passar na experiência, com 90% de certeza eu passei. Ontem me deram um papel para eu abrir uma conta no banco na qual depositarem o meu salário. Só faz sentido se eu for receber salários para os próximos meses, e os dos dois meses de experiência eu já ganhei. Ou seja: provavelmente vou continuar na empresa, ou não teria por que abrir uma conta-salário para depositar o pagamento de um empregado que não terá mais salários a receber de lá.
 A médica me deixou um pouco assustada em relação à possível reação da empresa à cirurgia: é lógico que ela dificilmente irá gostar de licença médica para cirurgia plástica, e quando eu voltar ainda estarei com atividades restritas nos primeiros dias, sem poder carregar peso, por exemplo. Segundo ela, eu poderia ter 14 dias de licença + uma carta ao gerente dizendo que eu não estou apta a carregar peso nos primeiros dias do pós-operatório, com omissão do motivo da cirurgia. Mas que, se a empresa correr atrás, ela vai ter que fornecer a informação. ("Nunca me aconteceu, mas eu faço questão de informar a todos os clientes") Assim vemos que, é claro, meus pais foram sábios de dizer que eu precisava aguardar as minhas férias do trabalho e ter mais tempo e estabilidade na empresa antes de tomar essa decisão. Mas não vou esperar mais de um ano para realizar o meu sonho, ou fico louca enquanto aguardo. Uma coisa legal seria esperar até outubro, acho que vou fazer isso. Enquanto isso, o difícil é conseguir segurar cada centavo para esse objetivo.

 *** MAQUIAGEM:

 Lembram que eu disse que voltaria a revender Avon? Yeah, já fiz minhas primeiras comprinhas: vááários quartetos de sombras - e adorei! ♥ Estou aproveitando a dica da
AnnaDark que me recomendou procurar dicas de maquiagem na internet. Vejo os vídeos e tento fazer. Não está sendo nada fácil! XD Mas é divertido. Obrigada, amiga!
 Aliás, outra notícia, relacionada com isso. Meus pais me chamaram para conversar. Queriam entender por que eu compro muita maquiagem e quase nunca uso. Fui franca com eles: não me sinto bonita com nada colocado sobre este tronco reto. Me maqueio, às vezes fica legal, às vezes nem isso, mas... tenho medo que pensem "af, aquela ridícula tá se achando, toda maquiada e arrumada, será que ela não enxerga que é uma monstra e que não vai adiantar?" Sim, porque já me disseram coisas assim no passado, e doeu. Disse a eles também que, depois da cirurgia, vou poder me amar mais e usar todas as coisas lindas que eu sempre quis!
 Eles disseram que já era para eu começar agora a me arrumar melhor e que ter seios pequenos não me impedia de ser bonita, não me arrumar é que impede. Bem, acho que nunca vou ser bonita o bastante sendo uma tábua sobre a qual os homens poderiam passar suas camisas, mas em todo caso eles falaram que vão começar a me acordar mais cedo para eu me maquiar antes de sair. OO'

 "Ah, pai, tenha piedade... eu já acordo cedo para ir trabalhar, (8h) vou do trabalho direto pra faculdade, a aula termina as 11h, é longe de casa eu chego tarde (meia-noite), mal dá tempo de comer eu já capoto e durmo (+/- 1h da manhã), agora vou ter que acordar ainda mais cedo para isso? T_____T" Acho que dormir menos para se maquiar é super fútil, mas em todo caso parece que eu não vou ter escapatória. ><' Talvez eles tenham razão, afinal. =P

 *** REFLEXÕES:
(Talvez só dê para entender lendo os tópicos anteriores)

 Com isso tudo, estou começando a pensar em algumas coisas:

- O que eu mais quero é ser amada, OK? É o meu objetivo de vida. Vim de uma família desestruturada, um pouco por isso fui uma aluna isolada e solitária na escola, acho que não tenho amigas e por isso o meu sonho é ter a minha própria família. Mas para isso eu preciso laçar um macho, e para tanto tenho que ser bonita. É assim bem simples. Será que eu consigo um só me vestindo e me maquiando melhor, que aceite os meus defeitos e aprecie as minhas qualidades? Bem, eu duvido seriamente - ou não estaria aqui escrevendo isso ;) Até onde eu saiba, para ser bonita é pré-requisito ser magra, com seios e quadris fartos e um rosto legal. Dos quatro itens me falta um (seios). Mas dizem que há gosto para tudo. Bem, quem sabe já promovendo alguma melhora imediata eu não consiga algo?

 - Se eu quiser começar a ser bonita já agora, com as maquiagens que eu já tenho, precisarei também de roupas, algo que me falta e muito. E para isso, preciso de dinheiro em quantidade. Eu pretendia deixar isso para depois da cirurgia, para mim o mais urgente, e quando eu tivesse o corpo perfeito, compraria coisas que se encaixam nele. Comprar roupas me dá depressão porque NADA. FICA. BOM. NESTA. BOSTA! E eu sempre saio das lojas mal, pensando nas blusinhas lindas com decotes que eu queria poder comprar mas meu corpo não me dá direito de vestir, e cansei de comprar roupas para "desviar a atenção/esconder meu ponto fraco". Disse a mim mesma que só compraria roupas quando eu pudesse escolher coisas que valorizassem um belo corpo, e não cobrissem uma vergonha que precisa ser escondida quando sai à rua. Mas vou ficar uma beleza maquiada nas minha velhas roupas surradas... vai ser um negócio totalmente sem harmonia e grosseiro

 - Assim, eu poderia esperar ter dinheiro, férias do trabalho e estabilidade na empresa para só então fazer a cirurgia. Juntar pelo menos 50% do salário e gastar o resto com roupas, para ir dando uma ajeitada no visual, e deixar a cirurgia para depois, tipo março do ano que vem (estabilidade + dinheiro), ou até mesmo julho (estabilidade + dinheiro + férias). Daqui até lá, quem sabe alguém não gosta do que vê? XD

 Gente, honestamente falando, sei que é o mais seguro, mas eu não acho que agüento (e também não acho que alguém me amará como sou). A maior parte de vocês sabe como é conviver diariamente com um corpo do qual não gosta, sabe que cada dia dói. Sabe que começar a comer só frutas, cereais, legumes, dietéticos, verduras e líquidos a longo prazo traria saúde e magreza, mas quer ser magra hoje, e faz nf. Eu quero ser bonita agora, eu quero acordar amanhã na sala de cirurgia e me sentir livre, viva, podendo usar o que eu quiser, e podendo me sentir bela sem artifícios, sem enchimento, sem roupas que causam efeitos opticos. Sem roupa nenhuma, aliás - só eu e um homem na cama, sem constrangimentos. Sem medo, nem auto-desprezo, nem insegurança.

 E se eu arriscar fazer a cirurgia agora e nem for demitida? Se eu fizer e ficar sem emprego estou fudida, mas se der tudo certo, nossa vai ser o céu! Pago as parcelas e ainda sobra para comprar roupas novas todo mes. Estou começando a pensar que, se eu for demitida da empresa na qual trabalho, posso ganhar dinheiro com a Avon até arranjar outro emprego. Tendo algo salvo no banco para poder pagar algumas parcelas, caso eu seja demitida, seria seguro, mas isso significaria dar uma entrada menor, portanto mais juros.

 Ainda não sei o que faço, só sei que preciso de forças, e mais sabedoria do que a minha pouca idade me oferece, eu acho. Me sinto confusa, sem saber o que decidir, mais ansiosa que racional e mais deprimida do que realista/prudente.
 É, acho que foi um mau post. =/ Sinto muito garotas, ainda hei de publicar algo melhor...
Beijos e tenham uma boa semana

Confidenciado por Bellatrix às 17h43

Enviar esta mensagem

28/07/2010

Não, eu não sou louca!

Olá meninas! Como vão?

Primeiramente eu gostaria de agradecer muuuuito pelos comentários no post passado... valeu! Superaram muito as minhas expectativas. Eu postei pensando "se pelo menos uma pessoa ler, eu já publico outro", mas quando eu fui ver, já tinha vários comentários de qualidade. Foi uma boa surpresa!

Hoje vim falar de uma neura minha: será que estou exagerando com esse negócio de busca pela perfeição?

Vocês já se perguntaram se são normais? Se toda essa tara pela aparência física é saudável? Às vezes eu acho que a sociedade está todinha ela doente e quem quer que nos critique está sendo hipócrita. Alguns são mais loucos, outros são menos, mas é como dizem, "o sujo falando do mal-lavado". Mesmo assim, por vezes tenho medo de perder o controle, não sei, dar uma importância a isso tudo maior do que deveria. O fato é que eu sempre desconsiderei essa parte da vida (aparência física), e agora que estou começando a mudar, tudo é muito novo para mim, e com isso tenho que me ocupar um tempo maior do que o comum para dar conta.

Bom, eu tenho um objetivo, um plano e um prazo para alcança-lo. Não é nada irrealista. Não quero fazer 10 cirurgias plásticas, quero fazer uma. Não quero emagrecer muito, só manter o peso. Será que um dia estarei satisfeita com o meu corpo? Eu preciso acreditar que sim. Que quando eu riscar os itens da minha wishlist já estarei realmente bela, só precisarei fazer a manutenção do que precisa (maquiagem todo dia, manicure semanalmente, depilação e sombrancelha a cada 15 dias, progressiva + luzes trimestralmente, comprar roupas novas sazonalmente - nada que todas as mulheres do Ocidente não já façam). Quando isso acontecer o meu corpo de um modo geral já vai ser legal (morena, magra, altura média, seios e quadris fartos), o meu rosto eu já considero bonito (nariz delicado, lábios grossos, tudo simétrico), e o meu guarda-roupas + acessórios já vão embelezar bem tudo isso. Somando com os tratamentos corretivos (branqueamento dentário, limpeza de pele, tratamento para estrias) e com aquilo que eu já conquistei (um cabelo realmente legal), não teria mais do que me queixar. Eu acho. Bem, tenho 99% de certeza.

E se eu estiver saindo de mim? E se eu estiver exagerando? Não, não pode ser... TODAS as mulheres que eu conheço têm mais maquiagens, bijouterias e roupas do que eu (eu diria bem mais, mas já estou quase satisfeita com as minhas), e se não fazem todas essas coisas sonham em fazer... o problema não pode estar em mim. Se houver algum problema, só pode estar no conjunto da sociedade.

O irônico disso tudo é que veio aqui uma garota tarada por dietas e perda de peso falar que eu "preciso de um analista". É muita hipocrisia e falta de se enxergar né? Será que ela não tem e usa bons tratamentos estéticos, maquiagens e roupas? ¬¬' Hmm, algo me diz que não é o caso! Então, para que vir criticar?

Já me decidi. Olhei para as mulheres que considero bonitas. Olhei o que tinha nelas e não em mim. Tracei planos para conseguir cada um dos itens. Já atingi alguns, estou em vias de conseguir os outros até julho do ano que vem, no máximo. Será que eu vou virar uma maníaca por plásticas? Que a minha depressão é para sempre? Que os meus problemas não são concretos? Que eu nunca vou ser feliz?

Eu acho que não. Acho que ter 70cm de busto e usar soutien tamanho PP é um problema absolutamente concreto e mensurável. Eu não vou enlouquecer, eu não perdi o controle, eu estou no comando da situação e vou atingir as minhas metas, para então ser feliz nessa e nas outras áreas da minha vida.

Tudo o que eu já me propus a fazer eu consegui. Consegui uma bolsa de estudos, consegui ter um bom emprego, consegui aprender idiomas, consegui passar no vestibular da USP. Vou conseguir ser bonita, me formar na faculdade e trabalhar na área que eu gosto. Com isso, vou conseguir juntar dinheiro para sair do país para ir morar onde sempre sonhei. E finalmente, conseguirei me casar e ter a minha própria família. Paralelamente a tudo isso, ser útil para o próximo, sempre. Depois, acho que já posso sossegar né? Rsrsrs É o meu plano de vida, e não acho que alguém que se declare em guerra contra a balança tenha o direito de me criticar... ou será que ela quer ser feia? Já deve ser e não deve estar mais feliz do que eu. Mas torço para todas nós, sem excessão, realizarem os sonhos. Seremos todas lindas e felizes, eu sei que sim!

Bem, como eu já tinha planejado antes de abrir o blog, se eu conseguir ticar todos os itens da minha lista, e ainda assim não me sentir bem com o meu corpo, eu vou procurar ajuda médica. Antes disso, acho que não estou fazendo nada que uma mulher comum não faça.

E vocês, garotas? Se sentem normais, se acham mulheres como todas as outras, ou têm a mesma preocupação que eu? (De estarem saindo fora de controle e centrando demais as vidas nesse único ponto) Eu acho que isso tudo está consumindo quase todos os meus esforços, e inclusive sendo a minha prioridade, mas que isso tem prazo para passar (eu VOU ser linda ATÉ julho do ano que vem, anotem!!) e que eu não descuidei realmente das outras coisas (carreira, estudos). Não ao ponto de sair realmente prejudicada no restante. Até porque, se é a área da minha vida na qual a situação está mais crítica, por que não priorizar? Quando o problema for aliviado eu trato tudo com mais equilíbrio. Estou tirando o atraso de uma vida que foi toda errada no quesito imagem/auto-imagem, quando estiver de médio para bom, porque eu já dediquei esforços intensivos a isso, então eu tratarei tudo mais ou menos com o mesmo peso.

E vocês meninas? Acham que já encontraram o equilíbrio? Ou só quando forem magras, é que só vão se ocupar em manter o peso e então poderão dar mais atenção a outras coisas? Ou vocês também têm medo de perderem o controle e acabarem emagrecendo mais do que realmente precisam?

Bom, eu repito - e até aconselho que façam o mesmo - se eu atingir a minha meta e ainda assim não ficar satisfeita, vou procurar ajuda. Antes disso não há motivos. Só problemas reais e planos realistas para superá-los.

Boa sorte para nós e que tenhamos sucesso com saúde e qualidade de vida!

Beijos =****

 

[Editado] Amanhã é a minha primeira consulta na clínica onde eu pretendo fazer a cirurgia! Vou conhecer a médica, tirar as minhas dúvidas... mal posso esperar! Me desejem boa sorte meninas! Eu estou aqui torcendo por vocês, viu? =) [/Editado]

Confidenciado por Bellatrix às 21h19

Enviar esta mensagem

24/07/2010

Encontrando minha verdadeira identidade

 

 Olá garotas! Como vão? ^^ Espero que esteja tudo bem por aí. Desde a última vez que eu escrevi, quase nada mudou, exceto pelo fato de eu ter comprado um livro, chamado "Não tenha vergonha de ser bonita", do Dr. Ronaldo Zani. Parece que ele foi escrito para mim, de tão maravilhosamente que se encaixou! Mas acho que muitas mulheres deveriam ler também. Vou contar um pouco para vocês da minha experiência pessoal e do livro. Vai ficar um post mais teórico, é um desabafo, na verdade um misto de catarse com manifesto. Não sei se vai agradar porque ele ficou meio "filosófico" e íntimo, e também não sei se alguém vai se identificar, mas para mim vale pelo desabafo.

 Bem, eu sempre fui uma intelectual, 0% preocupada com aparência, que boicotava radicalmente - eu disse RADICALMENTE - todo o padrão estético vigente na sociedade e todos os artifícios para entrar nele. Ainda hoje eu acho ele - e é - profundamente machista, excludente e negativo, mas como eu comecei a sofrer bulling pesado e fui muito violentada por estar fora do padrão, acabei adquirindo grandes traumas. O orgulho não me deixava abandonar as minhas idéias e ideais por causa da opinião dos outros, nem mudar minha aparência para agradar ninguém (ainda mais sabendo de onde o padrão se originou e a que interesses mesquinhos ele serve). Do alto do meu orgulho, eu simplesmente fingia que as críticas não me atingiam.

 Até que um dia a bolha arrebentou de vez, não com uma situação isolada, mas após anos crescendo e crescendo. Com o acúmulo de várias leituras, experiências, coisas que ouvi e vi, comecei a perceber que eu parecia a raposa da fábula A Raposa e as Uvas, na qual a raposa, faminta, tenta alcançar as uvas no parreiral, mas como não consegue, as desdenha, dizendo que "não queria mesmo", já que elas estavam "muito verdes". Na verdade, eu sempre fui muito feia e dizia a mim mesma, como prêmio de consolação, que ser bonita não era importante, ser ética e inteligente é que era.

 É aí que entra o livro do Dr. Ronaldo Zani, no qual ele fala do conceito de beleza integral, que seria a harmonia das belezas física, espiritual, intelectual e emocional. Ele defende que as 4 são importantes e que devemos atacar nessas quatro frentes com constância, consistência e determinação, para sermos pessoas plenas. Vejo que fiz tudo errado ao longo da minha vida porque eu só me preocupava com o espiritual e o intelectual, excluindo completamente o físico e o emocional. Infelizmente eu não tive a oportunidade de ler antes, mas ele tem uma mensagem que teria sido importante para mim se tivesse chegado ao meu conhecimento anos atrás. Ainda assim, sinto que posso tomar proveito agora do livro, mesmo que eu já tivesse percebido sem ele que desprezar completamente a beleza física era uma atitude auto-destrutiva minha que só me atrapalhava nos meus relacionamentos, na minha vida profissional e no meu bem-estar psicológico. 

 Eu tinha muitos preconceitos, como por exemplo, associar beleza a futilidade e promiscuidade - e sexualidade a imoralidade. E, para a minha surpresa, hoje enxergo que esses preconceitos são tão machistas quando discriminar alguém por ser gorda ou ter outra característica fora do padrão. Não quero fazer uma análise aprofundada do assunto aqui, até porque foge aos objetivos deste blog, mas para mim agora parece claro como água como associar cuidados ao corpo a futilidade e superficialidade é algo tão senso-comum quanto ser um cego obcecado apenas com beleza física.

 O importante é que agora eu posso superar:

a) O vitimismo: não nasci um arrazo, mas não precisa ser assim para sempre. Se eu tomar as minhas atitudes diárias para mudar aquilo que me incomoda no meu corpo e valorizar aquilo de que eu já gosto, estando ou não dentro do padrão, estarei sempre alcançando mais altos níveis de beleza, não importa que eu nunca possa me tornar uma capa de revista - e modéstia à parte, olha que eu acho que posso e até nem estou tão longe disso!! Não sou nem ninguém é uma vítima da genética, que tem que se conformar com o corpo que "deus deu", mas sim uma pessoa que tem nas mãos seu destino e pode escolher, todos os dias, a todos os momentos, ser melhor do que é ou continuar insatisfeita. E eu escolho melhorar.

b) A transferência de responsabilidade pelo problema para os outros: "Quem quiser me amar vai ter que me aceitar do jeito que eu sou", era o meu lema. Como explica o Dr. Zani: "Ninguém é obrigado a aceitar como companhia alguém que não lhe agrade. (...) não convém assumir deliberada e irresponsavelmente uma aparência desleixada e sem atrativos e esperar que os outros gostem de você mesmo assim." Eu achava o mundo injusto por às vezes não reconhecer as minhas qualidades morais e intelectuais só por causa do meu aspecto, mas hoje eu vejo que injusto seria se a beleza fosse desconsiderada ou pior, vista como mostras de burrice e falta de caráter.

c) A falta de auto-estima: no fundo eu sempre soube que não era bela, e embora eu me disesse que não me importava, era mentira. Eu não me amava e não era amada. Se mudava algo para melhor no meu corpo, logo percebia que era motivo de risos porque era algo belo destoante de um todo repulsivo, que atraía mais risos que olhares de admiração, e então eu me encolhia de novo. "Quem vai amar alguém como eu?", eu me perguntava, e desisti de ser amada, bem-vista e admirada, porque afinal isso não era para mim: meu destino era cuidar dos outros pela caridade, pela militância política, pelo serviço religioso... hoje eu estou atrás de ter um corpo que eu possa amar, estou cada dia mais perto, e conseguindo, serei amada também. Não é que a beleza não seja para mim, a beleza é para todas as que estão dispostas a se sacrificar por ela.

d) O raciocínio maniqueísta e dicotômico: No maniqueísmo cristão, só existe espaço para dois arquétipos de feminino: a santa e a puta. A santa está integralmente a serviço dos outros, se sacrifica por inteiro, se doa e tem uma vida sexual restrita; a puta é hedonista (leia-se sexualmente livre, indiferente ao próximo e ao conjunto da sociedade e egoísta). Eu não estava raciocinando como uma legítima pagã, que apreende a essência feminina pelos 4 arquétipos de Virgem, Mãe, Anciã e Senhora da Morte, nenhuma delas sendo boa ou má, apenas estágios na vida de uma mulher e parcelas de sua psiquê que estão presentes ao longo de toda a vida (simultaneamente, desculpe se parecer confuso). Hoje eu vejo que não há contradição entre ser bela e inteligente, ser bela e ética, buscar a beleza e mais que a beleza, essas coisas não são excludentes. Quero ser uma mulher plena, com as partes física, emocional, espiritual e intelectual em bom estado, não quero me ater a um padrão de comportamento ou outro de modo restritivo, e assim não viver aquilo que a vida tem a me oferecer de modo completo.

e) A crise de identidade: sei que isso pode parecer brincadeira, mas a minha identidade, a minha auto-imagem por esses anos todos esteve alicerçada na feiura! Sim, eu me enxergava como feia e isso condicionava os meus comportamentos sexuais e de sociabilidade. Hoje eu sei que todas podemos ser lindas, inclusive eu, e que só porque eu comecei a cuidar do meu corpo, isso não quer dizer que eu "passei para o lado negro da força", o dos fúteis e sem senso crítico, ou o que quer que seja. Para aumentar os seios eu não vou precisar diminuir o cérebro nem o espírito. Assim, eu posso continuar cuidando do meu corpo sem medo de parecer "hipócrita" (sempre receei que me disessem isso!!), porque hipocrisia está em já estar dentro do padrão e criticar quem está tentando entrar porque essa atitude seria "fútil".

 Assim, explicando o título do post, acho que hoje eu encontrei a minha verdadeira identidade. Não é uma pessoa abnegada, auto-flageladora, altruísta mas sem amor-próprio, que vive para servir aos outros e esquece de si mesma. Sou uma pessoa socialmente responsável sim, ética sim, inteligente e emocionalmente bem, mas que agora não ama só o próximo - ama a si mesma também! Comecei a cuidar dos outros mas também de mim, a ver beleza nos outros mas também em mim, e com isso a ser alguém mais completo e feliz!

 Enfim meninas, não sei se o post ficou muito chato, vou tentar publicar outro o mais rápido possível para substituir este, foi só um desabafo mesmo.

Beijos e que vocês tenham um bom domingo. =****

Confidenciado por Bellatrix às 19h56

Enviar esta mensagem

21/07/2010

 

 

Olá meninas! Como vão? Hoje é o meu dia de folga e eu estou aproveitando para blogar, espero poder passar nos blogs de vocês. Tenho várias coisas boas para contar. São elas:

 1) Meu dia começou com uma visita da gerente do meu setor da Avon. Eu vendia antes e vou começar a fazê-lo de novo, a partir de hoje. Minha vida já é uma loucura com trabalho e estudo, mas preciso conseguir dinheiro rápido e, para isso, um trabalho sem horário fixo é uma boa pedida. Além disso, vou poder economizar horrores porque revendedoras compram com valores de 20 a 30% de desconto. Só não posso me descontrolar e comprar mais maquiagem do que eu devo. ><'

 2) Finalmente criei coragem para fazer o que eu tinha dito pra vocês que faria. Enquanto eu digito na minha cama estão espalhadas várias bijouterias e acessórios. Estou dando uma olhada geral na situação e repensando que imagem eu quero passar para as pessoas, e se o que eu visto e tenho me permite alcançar esse objetivo. A resposta? Nããããão! Mas agora eu vou dar uma geral no que ainda posso usar e ter, me livrar do que já não me serve mais e depois começar a comprar o que eu realmente preciso.

 3) Outra coisa legal é que eu já marquei um dia para conhecer uma clínica, indicada por uma amiga minha, que tem uma amiga que já fez a mesma cirurgia que eu quero lá e gostou. Ficou agendado para o dia 29, após eu sair do trabalho. MAL POSSO ESPERAR!

 4) Eu contei para os meus pais o que estou planejando fazer. Eles não vão embaçar tanto quanto eu tinha pensado. Disseram que não vão me proibir, apesar de serem contra, nem me atrapalhar. Eles só têm implorado para que eu espere mais, até ter o dinheiro de pagar o procedimento à vista (eu já sabia...) e estar de férias tanto da empresa quanto da faculdade (o que nunca vai acontecer, já que eu só posso tirar férias da empresa daqui a um ano, pelo menos, mas sempre demora mais, então quando eu estiver de férias do trabalho não vou estar da faculdade e vice-versa). Gente, eu não consigo esperar um ano - daqui até lá eu já me matei por não ter agüentado mais de auto-repulsa. Mas como eles não entendem... vou ter que contrariá-los. Já falei para eles que não tenho condições de aguardar tudo isso... e eles falaram que são contra, mas que não vão atrapalhar, só ficam tristes. Então eu vou esperar um pouco mais, para ter mais dinheiro e eles não ficarem tão mal, e irem se acostumando com a idéia. Mas não muito mais, porque verdadeiramente não dá.

 Beijos garotas =***

Confidenciado por Bellatrix às 21h14

Enviar esta mensagem

19/07/2010

"O dia passa horas se estendem/ As pessoas ao redor nunca me entendem"

Charlie Brown Jr.

 

Olá meninas... como vão?

Hoje eu estou com o humor OK, mas fiz uma merda ontem da qual vou me arrepender pra sempre... descontrolei total... fiz cagada de novo. =/ Nossa, eu nao agüento mais, é sério, parece que eu sou a minha maior inimiga, quando eu acho que as coisas vão bem, lá vou eu com a minha maldita compulsão de novo e estrago tudo! Me sabotei total, nossa eu tô envergonhada de mim mesma, isso porque eu tinha conseguido me controlar super bem dia 15 e isso já tinha me deixado toda alegre... só pra no dia seguinte dar em merda! Agora eu estou jogando pra debaixo do tapete, tentando não pensar, não me culpar, e seguir adiante.

Outra coisa ruim é que, embora seja altamente provável que eu passe na experiência, só vou ter certeza lá pro dia 5! Af, o tempo simplesmente não passa! Cada minuto é um martírio. T_T Mas já me comprometi a pensar como se tudo fosse dar certo, ser otimista, contar com o melhor. Eu simplesmente tenho q tirar os maus pensamentos da cabeça!

Mas também aconteceram coisas boas. Uma delas é que consegui arranjar um jeitinho de não ter que passar fome por muitas horas seguidas, ao menos pelos próximos dias. Todas nós estamos tentando ser belas, mas confesso que jejuns não são a minha praia. =P O importante é que, cada uma com as suas dificuldades, um dia vamos todas chegar à perfeição.

Outra situação positiva é a minha na empresa: como vendedora de uma livraria, posso pegar até 2 livros a cada 15 dias, e hoje peguei alguns sobre dicas de sedução, escritos por homens. Eu estou confusa porque batem de frente com o que eu aprendi nos escritos por mulheres! XD E eu não sei mais o que pensar. Só sei que preciso de mais experiência e prática. O fato de eu ter chegado na minha idade quase sem ter tido uma vida sexual me deixa completamente insegura e triste. Acho que a fase sobre aprender a respeito de paquera, conquista etc já ficou para traz, só que eu pulei essa etapa, não aprendi o que deveria ter aprendido (eu estava ocupada demais lendo, sabe? ¬¬') Agora vou continuar lendo esse tipo de coisa, ver filmes e revistas pornos, ir a uma casa de swing assistir como outras mulheres fazem (ao vivo!), e contratar uma prostituta para passar uma horinha conversando com ela. XD Sério, toda vez que eu vejo uma no caminho para a faculdade (tenho aula à noite), por mais insano que isso possa parecer, tenho vontade de descer do ônibus e perguntar: como faço para ser como você???????? Afinal, elas são algo que eu não consigo nem a pau: desejadas pelos homens!

Eu sei que isso pode parecer completamente ridículo porque, é claro, mulher não é mercadoria, artigo de compra e venda, de aluguel, nem só objeto sexual, e a prostituição tenta condenar a mulher a apenas isso. Nós mulheres, e a prostituição ignora isso, somos seres humanos de carne e ossos, sentimentos, sonhos, planos, inteligência, e geralmente a mulher que se prostitui tem que abrir mão de tudo isso (do prazer e da liberdade físicos, dos seus sonhos, família, convívio social, etc) para ser escrava do explorador que vai colocá-la para se prostituir, e arrecadar dinheiro para ele. Muitas pegam doenças venéreas, têm problemas psicológicos seríssimos, clientes que as tratam pior do que lixo, violam, batem, obrigam a fazer coisas humilhantes, e após ficarem um pouco mais velhas, quando "não servem mais para o negócio", são descartadas e, sem dinheiro, não têm como continuar vivendo, nem como conseguir uma colocação legal no mercado de trabalho. Muitas também começam muito jovens, são vítimas do tráfico internacional de mulheres, capturadas ou vendidas pela família, às vezes até antes dos 10 anos de idade, e nunca mais consguem sair dessa vida. O resultado: os índices de suicídio e alcoolismo entre elas é altíssimo. O pior é que "prostituta" é xingo, mas cafetão não é: assim vive a nossa sociedade hipócrita.

Mas eu não sei onde encontrar uma mulher parceira e amiga com quem conversar sobre sexo. (Não, na minha família não dá pra dialogar sobre esse assunto.) E eu quero saber da parte P-R-Á-T-I-C-A. Não a romântica, a prática, eu disse. (O importante é o seu interior, ele vai te amar do jeito q vc é etc não, por favor, pulem essa ladainha) Sei que o que eu penso em fazer nem de longe é idéia original minha, inclusive mulheres contratam garotos de programa exatamente para isso. (Perguntar do que os homens gostam na cama etc) Também pretendo fazer o mesmo um dia, nada como ouvir a opinião de um homem. É o cúmulo da insegurança, eu sei, mas o que mais eu posso fazer? Não nasci sabendo e não aprendi quando deveria. ><' Só sei que, quando eu conhecer um cara legal que realmente valha a pena, eu não vou conseguir ficar com ele se ele me achar ruim na cama, se eu for insegura, incapaz e inexperiente (ser inexperiente na minha idade é a prova da minha incopetência e de que ninguém me quer).

Pretendo sair em segredo com alguns caras conhecidos na noite (preciso aprender onde ficam as baladas) e não dar o meu número depois, só pra aprender "como se faz" e já era, partir para um relacionamento sério quando com isso eu me sentir pronta. Eu já fiz isso uma vez, foi libertador, na verdade foi o único cara com quem eu já transei, e perder a virgindade foi o máximo para mim, não porque o ato sexual foi bom, mas porque finalmente alguém sentiu desejo por mim, me quis, ligou depois... claro que eu estraguei tudo com a minha insegurança, mas foi a minha primeira vez e eu tento não me cobrar tanto. Foi exatamente como eu queria: perdi a virgindade, sem ele saber que eu era virgem, me senti desejada, adquiri experiência, depois eu fiz cagada (insegurança, falta de tato, infantilidade...), ele sumiu, como eu não tinha sentimentos por ele nem o conhecia, não sofri, foi indolor, e agora que eu já sei o que não fazer, e estou mais pronta para ter um relacionamento sério! Vou repetir a dose mais uma ou duas vezes, para me certificar de que, quando eu achar alguém especial, eu não vou espantá-lo com infantilidades e inseguranças.

Quando eu tiver experiência e com isso puder ser segura e auto-confiante, vou poder entrar em um relacionamento sem neuras! Mas, claro, isso só vai acontecer quando eu for linda, por isso estou aqui, tentando ter o corpo perfeito. Afinal, nenhum homem se aproxima das mulheres feias, só se estiver no desespero, e depois não leva o relacionamento para frente. Primeiro a beleza (fator de atração mais importante!), depois ser boa de cama (fator de manutenção de um relacionamento mais importante) e por fim inteligência e ética (fator de manutenção de um relacionamento menos importante - mas eu já tenho, obrigada!).

Eu vou conseguir, tenho que conseguir, não quero passar o resto da minha vida sozinha. Quero ter uma família, ser amada. E se para conseguir isso preciso ser desejada, não seja por isso. Essas são as regras do jogo, por mais injustas que sejam? Então eu vou aprender a jogar! Que desonestidade há nisso? Sou wiccana, adepta da máxima "Faças o que quiseres se a ninguém prejudicares".

E quando eu encontrar um cara legal, eu não vou ter mais parceiro nenhum, viu? Posso vir a ter mil homens ao longo da minha vida, ou só um ou dois, mas serei integralmente fiel a cada um deles. "Desde que não magoe ninguém"... não sou "vagabunda", só insegura, e com motivos, mas é por enquanto. Logo não terei mais por que. =)

Vamos lá garotas, vamos todas ser lindas, ou melhor, trazer à tona a beleza que já temos! Cada uma pelos seus motivos, cada uma com os seus métodos, mas vamos.

Beijos a todas e tenham uma boa semana =*****

[Editado] Este blog ganhou o seu primeiro selinho! Muitíssimo obrigada Keka pela gentileza! Lá vai:

Bom a regra é o seguinte:

 


Indicar 5 amigas e dizer o que te faz Chutar o Balde!!!


Eu chuto o Balde quando mulheres criticam o meu peso;
Eu chuto o Balde quando vejo atitudes, pessoas e coisas machistas;
Eu chuto o Balde quando presencio homofobia;
Eu chuto o Balde qdo testemunho desrespeito ao meio ambiente e aos animais;
Eu chuto o Balde quando as pessoas são preconceituosas;
Eu chuto o Balde ao me criticarem por inveja;
Eu chuto o Balde menos vezes do que deveria, mas vou começar a fazer isso mais vezes!

Indico para:
Nara, Anna Dark, Barbie, Jess e Psicoanna.

Beijos garotas, espero que tenham gostado!

[/Editado]

Confidenciado por Bellatrix às 22h44

Enviar esta mensagem

15/07/2010

Volta por cima

"Não basta que a verdade seja proposta pela argumentação lógica e que o bem seja ordenado pelo imperativo ético. É necessário que ambos se mostrem com seu rostoa traente e amável, porque é só o amor que move e convence; e o amor é suscitado e nutrido somente pela beleza. O que é de necessidade urgente agora, (...) é (...) que [se] recupere vigorosamente a centralidade e a relevância do belo." De Bruno Forte, em O Caminho da Beleza - Uma aproximação do mistério de Deus

Olá meninas! Como estão? Hoje eu estou cheia de boas notícias! =)

Primeiramente, ao que tudo indica eu estou aprovada como funcionária efetiva da Saraiva! Tenho quase certeza que passei, até o final desta semana eu provavelmente já tenho a resposta de uma vez por todas. No máximo na semana que vem. O que significa que a minha cirurgia pode estar super próxima! Quem sabe o mes que vem? E isso abrirá caminho para eu fazer as outras pequenas coisas!

Em segundo lugar, parece que o meu organismo está se acostumando com esse negócio de ficar sem comer no horário em que eu não posso. Antes eu sofria, porque não conseguia comer muito no café da manhã, no horário do almoço batia a fome, e eu tinha que resistir! Agora já dá para tomar um café-da-manhã mais reforçado sem o estômago rejeitar e eu não tenho mais sentido a barriga revirar de fome à tarde. Depois, é só chegar em casa e tirar o atraso. Isso quer dizer bons 300,00 reais por mes a mais na conta bancária! Ainda passo vontade, mas está ficando menos dolorido. XD

Em terceiro lugar, hoje eu c-o-n-s-e-g-u-i *fogos* controlar a minha compulsão por gastos de um jeito que me deixou até orgulhosa. *-* Resisti a muitas coisas lindas e baratas, foi uma vitória! Ufa! Apesar das muitas tentações, consegui voltar para casa com o bolso quase que intacto. Aquela vacilada do dia 11 ainda tá pesando no orçamento, mas já estou resolvida a deixar para trás.

Uma última coisa: andei lendo sites em que se fala contra os padrões estéticos impostos pela mídia (é só a trilhonésima vez que eu faço isso). Li principalmente sobre o meu problema (seios pequenos). É sempre o mesmo discursinho (geralmente hipócrita) de auto-ajuda.

1) "Você tem que se aceitar do jeito que é." Fácil falar, difícil fazer. Tenho certeza que ninguém que diz isso boicota 100% o padrão midiático e, de alguma forma, usa, gasta ou faz algo para se sentir mais bonit@. As pessoas que dizem isso ignoram as conseqüências de sair fora do padrão (rejeição social, dificuldade para encontrar emprego, impossibilidade de encontrar parceir@ amoros@, etc)

2) "Se o seu busto é pequeno/se os seus seios são pequenos/se você está acima do peso/etc use roupas assim e assado que disfarcem isso." Esse argumento ignora pelo menos 3 verdades óbvias.

- A primeira coisa que os homens olham é a bunda. A segunda são os seios. E de qualquer modo, a mulher precisa ser magra para ser considerada atraente. Há uma grande quantidade de pesquisas que comprovam isso, feitas por grandes universidades, há livros a respeito, e essas pesquisas mostram que os homens preferem quadris e seios fartos, dando inclusive explicação científica dos motivos, tanto biológicos quanto sócio-culturais. Roupas que disfarçam ajudam na primeira impressão, mas o cara vai levar em consideração a parte que realmente o interessa antes de levar a mulher para a cama.

- O relacionamento amoroso que começar com essa farsa simplesmente não terá futuro: as roupas são tiradas para que o namoro vá adiante, e após isso não há o que disfarçar - em algum momento o cara saberá que foi enganado.

- Não há apenas fatores históricos, políticos, econômicos e ideológicos por trás dos padrões estéticos - há também fatores BIOLÓGICOS, e que portanto não podem ser invalidados. Seios maiores = mais chances de ser uma boa amamentadora. Quadris maiores = maiores chances de sobreviver a um parto normal. Ao longo do processo evolutivo que levou à constituição da espécie fomos geneticamente modelados a preferir parceiros sexuais que garantam à nossa espécie maiores chances de sobrevivência de longo prazo. É incontornável.

3) "Nem todos os homens preferem mulheres dentro do padrão. Há gosto para tudo, blablablá" Beira o ridículo contar com um desviado da norma para algo tão importante quanto a sua satisfação pessoal, sexual, profissional e amorosa - enfim, para a sua vida. A ocorrência desses casos é estatisticamente irrelevante. Seriamente, alguém mais vai ficar esperando pelo Príncipe Encantado do Cavalo Branco Que Te Ama E Te Aceita Do Jeito Que Você É De Souza Silva? Eu não. Já fiz 19 anos, não acredito mais em contos de fada, muito obrigada. Pessoas que são fracas demais para perseguir a perfeição e se contentam com o pouco que têm e com o pouco que são que se iludam com essa conversinha para elevar o amor-próprio de crianças. As pessoas crescem e precisam encarar que no mundo real há uma competição feroz pelas vagas de emprego, por parceiros sexuais e pela própria sobrevivência. Quem achar cômodo se enganar com isso que sucumba, a seleção natural cuidará de eliminar no longo prazo.

Enfim, era isso. Eu poderia fazer uma lista com 10 tópicos ou até mais, mas talvez eu vá postando aos poucos. ^^ (Isto é, se vocês gostarem)

E para terminar o post, thinspos!

Beijos amigas =*****

Confidenciado por Bellatrix às 21h59

Enviar esta mensagem

13/07/2010

Recomeçando

  

"Chegou a hora de recomeçar. Acreditar que pode ser melhor assim, tentar crescer." Não sei viver sem ter você, CPM22

 Olá meninas, como vão? Obrigada pelas palavras de incentivo. Eu ainda estou um pouco chateada, mas melhor do que no post passado. Resolvi voltar com uma imagem que considero tão inspiradora quanto uma thinspo: uma borboleta saindo do casulo. É um recomeço, uma transformação radical, pela qual a borboleta tem que passar para poder completar o seu ciclo de vida, mesmo que exija o sacrifício de passar um tempo em amarras. Além disso, é a transformação do feio em belo. É o processo que estamos atravessando. =)

 Realmente acabei gastando o que não devia. E se eu não tivesse adotado a tática que eu falei para vocês que usaria (não carregar dinheiro comigo), hoje eu teria comprado e comido um caminhão inteiro... mas, felizmente, minha carteira estava à salvo no guarda-roupas. Falando em guarda-roupas, fiz o que tinha dito a vocês que faria: juntei todas as minhas maquiagens e dei uma analisada. Anotei o que tenho, peguei catálogos e sites de cosméticos e contrastei com o que não tenho. Agora vou fazer um curso de auto-maquiagem para me aperfeiçoar e comprar de modo consciente aquilo que eu realmente preciso. Mas vai ficar para o mes que vem. Vou aproveitar sugestões de vocês a respeito (lencinhos e spray para esmaltes, amei as dicas, obrigada!). Só falta revisar também as minhas bijouterias.

 Agora estou ansiosamente aguardando a minha entrevista de experiência, que vai ser no dia 15. Tenho uma esperançazinha de confirmar definitivamente nesse dia que passei e ponto, mas o que me disseram é que além dessa terá uma outra, daqui a mais 45 dias. Cada minuto é um martírio e eu mal vejo a hora de ter salário garantido. Torçam por mim como eu tenho torcido para o sucesso de vocês, viu?

 Hoje ao sair do trabalho fui num barzinho com os colegas. Foi bom porque com isso a gente se conheceu melhor e os meninos da minha empresa realmente são legais, e até me deram umas dicas de beleza! Opinião masculina é sempre bom né? =D O que me doeu foi quando eu cheguei em casa, meu pai perguntando se um deles não estava interessado em mim. "Não pai, um era casado, o outro estava com a namorada". Toda vez que eu saio de casa por algum motivo meu pai tenta rastrear se eu estou acompanhada de um homem ou não. Será que ele não entende que ninguém se interessa por mim? Que eu não recebo cantadas? Que eu já estou há 2 anos sem beijar? Que do jeito que eu sou não tem como eu ter um namorado?? Ah, como eu queria que tivesse motivos para ele ter ciumes...! Ele já deve estar desesperado. "Essa aí até agora nunca conseguiu um homem, vou perguntar sempre pra ver se ela entende que já está passando da hora", é o que ele deve pensar. Ou pior, egoísmo de pai ciumento "ufa, essa vai ficar solteira mesmo, vou vigiar o máximo para ficar com ela só pra mim".

 Bati o meu recorde: 11 horas sem comer. Foi duro para mim, e eu estou com dor de cabeça... vocês são ninja! Espero nunca subir de peso e precisar passar por essas loucuras. Para mim é uma questão de economia. Agora eu quero começar logo a fazer aulas de maquiagem e sessões de limpeza de pele. Mal posso esperar. =)

 Bem, para o post não ficar muito inútil, vou colocar algo que eu gosto bastante e nunca vejo em blogs de anas e mias, mas talvez vocês gostem: garotas góticas. Espero que apreciem como eu!

 Beijos meninas =****

 

 

Confidenciado por Bellatrix às 21h31

Enviar esta mensagem

11/07/2010

“Não tive filhos, não transmiti a nenhuma criatura o legado da nossa miséria.”

Machado de Assis

 Olá meninas! Como vão? Hoje o post vai ser um desabafo... estou muito mal, precisando chorar, sabe? Falhei, caí em tentação, me sabotei, fui uma idiota.

 Foi um dia de total descontrole... gastei um dinheiro que eu não podia e não devia ter gastado, estou um passo mais longe do meu sonho, parece que fica cada dia mais longe e não mais perto. Quero ser linda... amada... desejada... formar uma família... ter filhos... mas, quem vai amar uma bosta feito eu?

 Sou uma monstra, meu corpo é deformado, reto como uma tábua na frente, parece tronco de homem. NENHUMA roupa fica boa num monte de lixo nojento como este. Hoje para piorar eu ainda gastei com coisas que meu corpo não me dá o direito de usar. Colares... não posso ver, adoro, acho lindos... mas aquele negócio pendurado sobre um tronco RETO deve ser motivo de risos.

 Sabem o que eu vi hoje? Um cara reclamando num blog que na Austrália foi proibido que mulheres com seios pequenos posem nuas. Por quê? A lei australiana considera incentivo à pedofilia. Claro! Que MULHER, não uma aberração feito eu, que MULHER de verdade não tem peito? Só as crianças, mesmo! Como eu sou ridícula! (Como se alguém sem ser aquele blogueiro gostasse desse gênero de pornografia. Só um desviado ou um louco para gostar de uma nojentice estúpida como eu.) E ainda querem que eu "me ame do jeito que eu sou", afffffff... quem amaria esse monstro repugnante? Eu não amo, alguém se candidata? Não né? ¬¬' Talvez a minha existência devesse ser ilegalizada. ¬¬'

 Hoje eu não resisti... me cortei. Esse corpo patético, abominável, merece uma boa dose de dor. Cortei bem fundo, exatamente onde eles deveriam estar, só não cheguei no coração, porque... sou uma covarde. É por isso que eu não consigo um namorado, que ninguém se declara para mim, me pede em namoro, se aproxima... porque sou um lixo, um zero... não sou nem mulher nem homem, não sou nada. Isso se chama seleção natural.

 O que me deixa mais infeliz é saber que eu nunca vou ser o que os homens querem de uma mulher (ter seios fartos e naturais). Só não sei o que é pior: continuar esta BOSTA ou ter belos seios grandes e... artificiais (que muitos não gostam também). Mas eu sou um zero mesmo, talvez eu devesse ter cortado mais fundo e acabado com essa vidinha.

 Boa sorte para vocês. Eu sou um caso perdido, uma derrotada, que gasta compulsivamente e não tem auto-controle. Muitas de vocês se consideram acima do peso, mas estão aí com namorados, já eu... bem, eu nunca vou ter um. Mulheres como eu deveriam ser esterilizadas. Não vou ter filhos biológicos, esse gene precisa sumir da humanidade.

 Pior é a minha mãe falando "Você é lllllllllllllllllllllinda", com aquele sotaque mineiro segurando o L até não agüentar mais, "você é lllllllllllllllllinda, por que você não passa maquiagem antes de sair?"

 Adiantaria?

 "Por que você não usa aquela blusinha, faz tempo que você não coloca..."

 Para rirem de mim ou para ficarem com nojo?

 "Por que você nunca mais usou aquele vestido?"

 Porque eu adquiri bom-senso.

 "Por que você não usa bojo então?"

 Vai resolver depois que eu tirar e fizer o homem se sentir enganado na cama?

 "Por que você não usa essa blusa linda?"

 PORQUE O CORPO NOJENTO E REPULSIVO QUE VOCÊ ME TRANSMITIU NÃO ME PERMITE!

 São as coisas que eu queria dizer para ela e não posso. Coitada, uma boa mãe, me criou com amor... mas não tinha nada que por mais alguém no mundo para sofrer como ela. Meu pai casou com ela porque é um covarde, teve uma mulher bonita mas tinha medo de ser traído, não queria ficar com uma mulher que "não dá sossego, porque todo mundo quer", daí ajudou essa bosta a desencalhar e sobrou pra mim. Ele também não é grande coisa, um homem violento, rude, grosseiro e rústico, mas ela não ia mesmo conseguir algo melhor. E no que deu? Em mim, a junção do ruim com o pior.

 Mas eles não têm culpa, ninguém tem culpa. Eu sou só um lapso da seleção natural que não vai voltar a acontecer. Eu vou ser excluída, ninguém nunca vai me amar e um dia a humanidade vai ser um pouquinho melhor.

 Acho que nasci destinada a ser um fracasso. Bem lá no fundo, eu não desisti ainda... eu ainda quero realizar meu sonho. Ainda acho que eu sou capaz. Ainda tento, ainda insisto. Mas talvez seja só falta de se mancar, sabe? De perceber que a saída é a morte mesmo, porque como eu sou não adianta tentar ser feliz, só nascendo de novo. Será que eu tenho salvação? Será que um dia alguém vai sentir mais que piedade por mim?

Será que eu ainda vou ouvir um "eu te amo"?

Confidenciado por Bellatrix às 22h42

Enviar esta mensagem

06/07/2010

 

"Eu não sei pelo que vale lutar
(...)
Eu não sei por que eu insisto
E falo o que eu não quero
Eu não sei como eu cheguei a esse ponto
Eu sei que isso não está certo"

Linkin Park - Breaking the habit 

Olá meninas, como vão? Espero que estejam sendo fortes na luta pelos seus ideais. Eu não tenho sido tão bem-sucedida quanto gostaria... Fiquei um pouco desmotivada a postar por isso e também pela falta de comentários, mas um em especial - o da Anna Dark - me reanimou =) E o de cada uma de vocês é super importante para mim, viu? Prometo passar nos blogs de todas amanhã, quando será o meu tão esperado dia de folga! Reconheço que em partes a culpa é minha, que não tenho passado nos endereços de vocês.

Então, lembram que eu disse que ia começar a dar passos diários pelo meu objetivo? Bem, eu diria que eles não estão sendo diários, como deveriam, mas freqüentes. Preciso me motivar a dar o meu melhor todos os dias. Não sei o que fazer para parar de me sabotar com fraquezas ao longo da semana... queria entender daonde saem certas atitudes minhas que fazem parecer que eu estou jogando contra mim mesma. =/

Eu havia dito inclusive que ia dar uma geral no meu armário? Bem, eu fiz isso e foi uma coisa muito dura para mim. Olhar para todas as peças que eu tenho e ver como elas são sacos atrás dos quais eu escondo meu corpo, e não roupas. Muitas delas já têm mais de 7 anos de uso, e todas são infantis, com cara de menininha... tá, quase todas. Achei duas calças, dois lenços, um macaquinho, uma jaqueta e duas blusas de frio que são apresentáveis, além de um shorts, e descobri o meu ponto forte: saias. Tenho muitas bonitas, a maioria curtas. O duro é constatar que eu uso saias curtas para desviar a atenção do meu ponto fraco (busto). E as blusas... uma tra.

Gé.

Di.

Aaaaaaaaa!!!

Se dividem entre as que ficariam bonitas em mim, se pelo menos eu não fosse tão reta, (e por isso eu NUNCA uso) e as que são armaduras sobre as quais eu ponho jaquetões para a falta de seios ficar menos visível. (Muitas delas nunca foram vistas em público. Só as jaquetas sabem o que é a luz do sol.) Mas prometi para mim mesma que vou parar de comprar blusas camisa-de-força e, após a cirurgia, me dar tudo o que há de belo. Adotei um lema: não aceito nada menos do que aquilo que eu mereço, e eu mereço o melhor. Disse isso a mim mesma diante de cada peça e me perguntei: "esta aqui é tão boa quanto eu mereço, ou eu posso ter/fazer melhor?" Façam o mesmo, garotas! Vocês merecem tamanho G? Calças enormes? Blusas para esconder a barriga? Ou o que há de mais moderno na indústria da moda? Todas somos dignas, todas podemos e vamos ser lindas!!!

Agora meu guarda-roupas tem duas partes: a daquelas que eu considero bonitas e que vão ficar boas em mim após a cirurgia, e as que estão na fila para serem doadas. Não posso doar tudo agora ou vou ficar quase pelada, mas vou me dar uma roupa por mes e me desfazer do que precisa ir embora quando puder. E logo logo, vou poder usar as roupas bonitas que eu já tenho e ainda não posso colocar. Fiquei me imaginando depois do pós-operatório, me olhando no espelho com cada uma delas e admirando o resultado. E depois na rua com elas, sem ter medo de as pessoas rirem do meu corpo.

Bem, o passo número 2 foi pensar: "se as minhas roupas atuais são infantis e feias, o que eu devo vestir de agora em diante?" Então, fui a dois shoppings olhar as vitrines e pesquisar preços. Lembrei do que já tinha no armário e comecei a olhar para aquelas coisas lindas que eu preciso começar a ter. Coisas que me valorizem, que chamem a atenção para mim, que me deixem com um visual amadurecido e altivo. Chega de andar olhando para o chão, rezando para que ninguém me note.

Só falta passar em revista as minhas bijouterias e calçados, e visitar sites de lojas de roupas que me dêem inspiração.

Já dei uma geral também no meu orçamento e concluí que, passando na experiência, vou conseguir levar as contas, apesar de que com um bom aperto, mas dando passos sólidos em direção às minhas metas mensalmente. Já organizei até um calendário de quando vou ticar cada item da minha wishlist, se tudo sair conforme o planejado. Mes que vem faço um curso de maquiagem (R$25,00 o curso mais R$75,00 as maquiagens à minha escolha, da Contém 1g). Depois, o meu piercing no umbigo. E a partir daí, vou fazer 4 sessões de limpeza de pele mais um peeling de cristal (3x de 160), clareamento dental (ainda não pesquisei o preço) e vão ficar para o ano que vem tratamento para as estrias e depilação definitiva.

 Também já sei que vou me dar um livro de até R$50,00 por mes (levando em conta o desconto para funcionários que eu tenho por trabalhar em uma livraria) e uma peça de roupa ou calçado mensalmente. Mais que isso me impediria de pagar as parcelas da cirurgia e mais o retoque das luzes e da escova progressiva, que são trimestrais.

Tem mais coisas que eu preciso fazer: traçar um plano para melhorar a minha postura e a minha dinâmica corporal. Anos de auto-desprezo me fazem passar insegurança, timidez e repressão no meu jeito de gesticular e isso tem que mudar. Minha própria voz é infantil, baixa e insegura. Solução óbvia? Curso de teatro, é claro. Só depois da cirurgia também. Afinal, saio de casa às 9h e chego meia-noite (trabalho das 10h às 16h, vou direto pra faculdade, almoço lá e tenho aulas das 19h30 às 11h30). Não dá tempo e, feia, não tem curso que vá me fazer ter uma postura OK. Ando curvada, os cabelos sobre os seios, com os braços cruzados...

Agora vamos ao maior inimigo dos meus planos: a gula.

Não consigo deixar de gastar dinheiro comprando porcarias para

comer. Quando eu menos espero, lá se foram preciosos R$250,00

 ou até R$300,00 por mes com junkie food. Não estou acima do peso, mas a gente tem que fazer um esforcinho para manter né? Meu IMC está dando 15,8, e eu não quero que aumente, nem que diminua. É uma questão de beleza duas vezes: uma porque eu não devo engordar e outra porque eu preciso do dinheiro para outras coisas! Por que é tão difícil controlar a boca? =/ Daí eu penso em vocês que são super guerreiras, fazem umas dietas loucas, passam dias inteiros sem comer... e me sinto horrível. T_T Quero manter o peso e o orçamento no lugar!

Hoje me tranquei no banheiro do shopping onde trabalho até terminar o horário de almoço. Parecia que não ia acontecer nunca (só tenho 20min de almoço, af, quanta gula né?). Voltando a trabalhar, até esqueci, mas na hora da saída... mil lojas de praça de alimentação me provocando... até chegar em casa devo ter passado por um milhão, eu juro, de padarias, lanchonetes, fast foods, camelôs...

Mas eu já adotei uma estratégia, vou sabotar o meu estômago: não carregarei mais a carteira comigo! Vou tomar um BOM café da manhã todos os dias e sair de casa de barriga cheia, sem um centavo no bolso, só com o bilhete único. Quando voltar das férias, vou comer só no bandejão (pra quem não sabe a USP, onde eu estudo, tem um restaurante onde se pode comer por R$1,90 a refeição). Vou comprar bilhetes do "bandex" toda primeira segunda-feira do mes e só carregar eles na bolsa, nem um centavo sequer. Assim, tomo um café da manhã e janto na USP todos os dias, além de comer mais alguma coisa em casa antes de dormir, nada mais que isso. Enquanto não volto de férias, café da manhã, almoço e jantar em casa, nada a mais nem a menos. Tá, isso são das 9h às 17h30 sem comer todos os dias, e para mim que não tenho ana é difícil, mas eu tenho que conseguir. Como vocês passam tantas horas sem comida???

Bem garotas, é isso, já falei muito. Força e fé que vamos todas alcançar nossos sonhos. Rumo à perfeição =D

Beijos =******

 

Confidenciado por Bellatrix às 20h32

Enviar esta mensagem

02/07/2010

 

1º de julho de 2010 - O DIA DA VIRADA!

 Olá meninas! Como vão? Estou um pouco desanimada porque tive menos comentários no post anterior (embora todos tenham sido de qualidade), mas espero que isso não aconteça mais. E também espero que vocês estejam bem e arranjem um tempinho para mim. XD

 Bem, hoje eu tomei uma decisão: foi o último dia em que eu me mostrei ao mundo como feia - o último! Não vou virar uma princesa de um dia para o outro, mas decidi pelo menos uma coisa: vou dar o meu melhor todos os dias, a partir de hoje, em tudo o que estiver ao meu alcance. Eu sempre tinha a desculpa de que, enquanto eu não fizer uma cirurgia plástica, nada vai ficar bom o bastante. Afinal, o que as pessoas vão falar? Provavelmente "ah, essa baranga tá se achando, coitada; com esse corpo ridículo ainda fica tentando passar maquiagem, usar roupas diferentes, putz se mata... não tá vendo que é uma monstra?" Bem, agora eu resolvi que, realmente, eu sou incompleta como sou e, enquanto eu não mudar o meu maior defeito, nada ficará realmente belo em mim. O que não quer dizer que eu vou continuar usando as minhas roupas velhas, deixando de usar maquiagem, de cuidar do cabelo, de fazer a sombrancelha... chega! Descuidada nunca mais! De agora em diante, mesmo enquanto eu não puder ficar perfeita como sonho, vou ficar o mais perto disso que for possível!

 Um passo por dia, todos os dias, de hoje em diante, até a perfeição! Comecei pela sombrancelha, e prometi pra mim mesma, que nunca mais vou deixar ela crescer sem controle e ficar com aquela cara de descuido. Depois, fui mudar o cabelo. Meu cabelo era longo, passando um pouco do meio das costas, castanho escuro, cortado fio reto. Me dava um aspecto pesado e de descuido. Muita gente perguntava se eu não era evangélica, por usar o cabelo longo e natural. Há anos inteiros ele não via uma hidratação, uma escova, um penteado diferente.... (sempre solto dividido no meio, atrás da orelha). Além disso era cheio de pontas duplas e ressecadas. Hoje eu fiz escova progressiva, para ele ficar liso como eu sempre quis, cortei ele repicado para dar um ar mais leve no visual, sem tirar muito no comprimento, e fiz luzes, com mechas castanho-claras. Assim fiquei com um ar mais descontraído e descarregado. E novamente: nunca mais vou deixar ele ficar como antes: ondulado com muito volume, ressecado, sem hidratar, pontas caóticas, corte e cor pesados... chega!

 Amanhã, vou dar uma geral no guarda-roupas. Vou reorganizá-lo inteiro e fazer um levantamento das peças legais que eu tenho, das que eu preciso doar, e do que falta comprar para eu ter um visual OK. Banho de loja, só depois da cirurgia: enquanto isso não acontece, não adianta comprar blusas, vestidos... nenhum decote fica bom num colo reto!! Mas posso ir comprando uma peça por mes enquanto isso: um calçado hoje, mes que vem uma saia... chega de só usar blusas de frio, calças jeans que não valorizam atrás, nunca usar nada curto... acabou!

 Além disso, pretendo dar uma geral no meu orçamento. Preciso planejar realistamente que tratamentos estéticos preciso e posso fazer, em quanto tempo consigo juntar o dinheiro, qual eu vou fazer primeiro... vou começar pelos mais baratos, eu acho. Mas uma coisa boa já aconteceu: risquei um item da minha wishlist! Pretendo fazer isso pelo menos uma vez a cada 5 meses.

 Ah! E nunca mais vou sair de casa sem maquiagem. Chega de "nada fica bom em mim mesmo..." Agora eu vou melhorar!

 Meninas, obrigada pelo apoio, mesmo! Vamos ser lindas, merecemos. =)

 Sobre o post passado, decisão tomada: vou procurar dar uma entrada razoável e parcelar o resto, mesmo com juros altos, ou vou ficar louca antes de conseguir o dinheiro para pagar tudo à vista. Vou deixar no banco o valor equivalente a duas parcelas para, caso eu perca o emprego, não fique endividada até encontrar outro. Nem endividada nem precisando pedir dinheiro para os pais, eu me mataria se acontecesse. Eles vão ser contra, vocês vão ver só, logo eu vou vir aqui falar como eles me chamaram de irresponsável por fazer uma cirurgia de risco e ainda por cima me meter em dívidas. Pois eu vou tomar todas as providências para não precisar do dinheiro deles: vão ser parcelas de valor baixo, que mesmo se eu for para um emprego menos bem remunerado vou continuar podendo pagar facilmente. Eu falo muito nessa questão de poder não continuar no emprego porque estou no período de experiência, mas torçam por mim que eu passo.

 Agora fica a dúvida: espero passar a experiência para fazer a cirurgia ou não? Se for para esperar só vai dar pra fazer em setembro. Se eu fizer agora, vou ter que tirar 7 dias de licença e não vou poder carregar peso nos primeiros dias após voltar ao trabalho (e eu carrego peso na empresa sempre). Não sei se isso me atrapalharia a continuar empregada lá ou não, e além disso daqui até setembro terão caído mais salários na minha conta, ou seja, eu poderia dar uma entrada maior e pagar menos juros. Talvez eu esteja sendo ansiosa demais, mas já sei de uma coisa: até janeiro ou pior, julho do ano que vem, não dá para esperar, ou eu surto antes.

 Dia 15 deste mes passo pela primeira entrevista de experiência, que é quando eu completo 45 dias na firma. Pelo menos até lá eu espero sim. Depois disso, aceito opiniões. Mas já sei de uma coisa: depois desse dia vou marcar uma consulta na clínica onde eu pretendo fazer a cirurgia. Quero conhecer a médica que me indicaram, o lugar e conversar sobre como eu quero que fique o resultado final. Ir sentindo o clima, enfim. Tudo vai dar certo, tem que dar.

 Bem, mais uma vez meninas, sejam fortes e perseverantes, torço por vocês, de coração. Queremos, podemos e vamos ser lindas! Rumo à perfeição!

Beijos a todas =******

Confidenciado por Bellatrix às 00h41

Enviar esta mensagem

29/06/2010

 

 Olá meninas! Muito obrigada pelos comentários de vocês. Vejo que estou conseguindo o que eu queria com o blog, que é conhecer outras pessoas que compreendem como eu me sinto, ou que pelo menos se solidarizem com a minha situação. Os recados de vocês são muito importantes para mim, viu?

 Quem leu o post passado sabe que eu estava em dúvida entre salvar todo o dinheiro que eu ganho para fazer uma cirurgia plástica o mais rápido possível, ou ir gastando com outras pequenas coisas que contribuem para a melhora da minha aparência e esperar mais pela cirurgia. Fui educada em uma família que tem o bom hábito de não se meter em dívidas por nada, ou só em casos extremamente excepcionais, e nem cogitava a hipótese de me encrencar com prestações. E se eu perder o emprego antes de terminar de pagar? E se acontecer algum imprevisto e eu não conseguir deixar as contas em dia? Não gosto de dever nada a ninguém: nem satisfação, nem muito menos dinheiro. Mas por uma sugestão da Miss Blueberry, mandei um e-mail para uma clínica recomendada por uma amiga e eles me enviaram um orçamento estimado. Algumas das opções de parcelamento me permitiriam fazer a cirurgia imediatamente. Isso para mim significaria: felicidade, auto-aceitação e amor próprio... agora! Mas os juros fariam o preço total subir assustadoramente em comparação com o preço a vista. Para mim seria a coisa mais cômoda do mundo, pagar as famosas "suaves prestações" com as também famosas "parcelas que cabem no seu bolso" e ainda sobrar dinheiro do salário para fazer outras coisas. Nunca gostei da idéia de dar dinheiro para banqueiros, através de juros, mas estou tão desesperada para resolver isso logo... sabe, é o meu sonho, desde os meus 13 anos de idade (o que significa que eu já esperei por SETE anos muito sofridos - tenho 19).

 Estou quase perdendo a cabeça e embarcando nessa. Penso: "mesmo que eu perca o emprego, as parcelas são tão baixas que eu nem me endividaria: pagaria com o que tenho na poupança até conseguir outro, que por menos bem remunerado que seja, vai dar e sobrar para parcelas tão baixas". Aiaiai... a prudência e a urgência decididamente não andam juntas! Sei que meus pais vão odiar se eu me meter em dívidas por causa disso (meu pai não aceita que eu faça a cirurgia, minha mãe não quer mas também não atrapalha). Mas e o desespero que é mais um dia dentro de um corpo que eu odeio? Me olhando no espelho e me sentindo um lixo? Andando com os olhos baixos por vergonha das pessoas? E a insegurança ao falar com os outros? E o mal-estar ao ver as fotos de famosas com as quais somos bombardeadas à exaustão todos os dias? E a incapacidade de começar um relacionamento amoroso por saber que não tem quem vá me amar assim? E a insegurança de ficar nua na frente de outro, sabendo que meu corpo é uma deformação total? E o desconforto que é usar 3, 4 soutiens, para enganar que eu tenho alguma coisa? E a tristeza de tomar banho de olhos fechados, para não ver o que eu não quero ver? E o desespero ao ir comprar roupas, e NENHUMA ficar bem no meu corpo? Será que eu agüento mais um dia? Mais dois? Mais dez? E até janeiro de 2011?

 Eu não sei, mas acho que essa obsessão que acabei adquirindo com o meu corpo está me afastando de quem eu era. Dos meus valores, das minhas prioridades. Hoje nada ocupa mais tempo nos meus pensamentos que o meu ódio contra a minha carne, e nada parece tão importante quanto resolver isso. Nem os valores, familiares ou religiosos; nem as ideologias, político-partidárias ou individuais...

 Algo está diferente. Eu não sou mais aquela menina idealista de antes. Uma parte de mim quer que eu continue sendo, outra parte quer que eu passe de menina insegura a mulher sexualmente plena. E como fazê-lo se um dos sinais mais básicos da puberdade na fêmea - o desenvolvimento de glândulas mamárias - não se deu no meu corpo? Às vezes eu procuro entender a dimensão e o impacto que essa minha deficiência teve na minha psique. Se eu fosse uma mulher normal, saudável e atraente, talvez tivesse outras idéias, e eu decididamente teria outra história de vida. Com mais amor, mais carinho, mais aceitação... então é uma doença que gera outra: uma deformação física que levou a um prejuízo psíquico, depressão. Tenho esperanças de que, resolvendo o corpo, resolva a minha falta de bem-estar também. Mas no fundo, temo que não seja o suficiente.

 Hoje me veio à mente uma frase: vou completar 13 anos no meu aniversário de 20 (pretendia fazer a cirurgia em janeiro do ano que vem, que é quando faço 20 anos). É isso: eu nunca fui uma adolescente, eu fui uma adulta, com preocupações de adulto, na adolescência. Porque não passei por um processo fisiológico chamado puberdade. Mas não é possível queimar etapas: eu nunca vou ser uma mulher de verdade enquanto não tiver um corpo amadurecido, por mais que os anos passem. Vou ser eternamente a menininha insegura. Afinal, meu corpo é infantil (entre fêmeas, só crianças não têm seios!). Adulto sem vida sexual, só padre (e olhe lá... e olhe lá...). E quem sentiria atração por uma monstra deformada e incompleta como eu?

 Preciso mudar, quero mudar... agora!! Mas a que preço? Talvez esse negócio de não querer me endividar seja em partes medo. Talvez esse medo da opinião dos meus pais também seja parciamente uma desculpa. Mas, ainda fica a dúvida: comprometer o meu orçamento com uma infinidade de parcelas ou não? O que vocês me sugerem? Se vocês pudessem pagar pela magreza, mesmo que a demoníacas prestações, fariam? Nós todas estamos usando meios socialmente condenados (NF, LF, laxantes, diurétios, miadas... dívidas XD) para objetivos também não muito bem considerados (beleza). Estamos nos encrencando com nossas famílias e enfrentando a condenação social. Tudo pelo mesmo motivo: odiamos nossos corpos como são. Ou, pelo menos, é assim que eu vejo, não sei se vocês se identificam comigo de volta como eu me identifico com vocês. Sinto que no fundo, somos todas filhas dessa mesma sociedade patriarcal, machista e doente, não menos doente do que nós.

 Desculpe se o post tiver sido chato, mas foi sincero e eu precisava desabafar. Tenho esperanças de alguma de vocês me compreender ou ao menos respeitar. Desejo o melhor a todas e que  boa sorte com as suas próprias metas. Vamos ser fortes, meninas, e perseverantes, que vamos conseguir realizar nossos sonhos!

 Beijos e coragem a todas nós

Confidenciado por Bellatrix às 23h21

Enviar esta mensagem

26/06/2010

 Olá meninas! Como vão? Hoje o meu post vai falar de vários assuntos curtos, alguns pequenos desabafos sobre como tenho me sentido.

 *** Hipocrisia:

 Não é terrível quando mulheres bonitas e bem-resolvidas vêm dizer que nossos problemas são psicológicos, que já estamos bem como estamos, que temos que nos aceitar como somos... na maior hipocrisia? Gente que gasta horas e muito dinheiro em salões, academias, shoppings, lojas de cosméticos, perfumarias, entre vários outros... e que diz que se nos preocupamos com magreza, beleza, etc é sinal de futilidade. Como pode né? Estudo na maior universidade da América Latina, falo 3 línguas estrangeiras, milito em um partido político, faço trabalho voluntário em ONGs e nem por isso quero ser gorda ou feia! Fútil? Melhor que ser falsa né? Acho que elas devem pensar assim "se ela se arrumar, se cuidar, pode ser até mais bonita do que eu. Ela é magra, jovem, mas se ela não se sentir bem consigo mesma nada vai adiantar. Então, vou estragar a auto-estima dela, para ela continuar na lama em que está, assim sobram mais homens para mim".

 *** Auto-estima:

 Vou confessar uma coisa para vocês: não tenho nenhuma. Não, eu não me amo do jeito que eu sou: eu vou me amar quando eu merecer ser amada, quando estiver à altura disso. Esses dias tenho me sentido uma monstra. Algumas coisas que andaram derrubando o meu ânimo.

- Vi um site esses dias sobre como calcular o tamanho ideal do soutien. Eu não uso porque não preciso. Não tenho seios... e já tenho 19 anos! T_T Só dá pra resolver com cirurgia. Mesmo assim eu li a matéria. Era algo assim: se o seu busto mede de 80cm a 87cm, o tamanho é PP. Não, não tem nada menor do que PP. O meu busto mede... humilhantes 70cm. Me amar do jeito que eu sou? Tá... sei...

- No blog da Lola (recomendo a todos que leiam, é uma feminista muito inteligente), tem um post sobre cantadas. Ela falou das experiências dela e nos comentários as meninas comentaram das suas. Percebi que se eu comentasse, não teria o que contar, porque... quando foi mesmo a última vez que eu recebi um elogio de um homem na rua? Nem sou capaz de me lembrar, mas se somar todas as vezes dá pra contar nos dedos. Me dar conta disso me arrazou.

- Às vezes eu fico repassando mentalmente as críticas que já recebi ao longo da vida. Algumas foram mal intencionadas, outras foram no intuito de ajudar, e algumas vezes as pessoas nem se deram conta que estavam criticando o meu corpo, mas sempre marca. Uma vez no meu grupo escoteiro estavam distribuindo camisetas. Eu, que sou magrinha, queria a P. Uma outra menina, baixinha e também magra, na minha cabeça teria que usar P também. Eu disse que ia pegar duas P, uma para mim e outra para ela, então me responderam: "não, ela usa M." Eu falei: "mas temos o mesmo peso e ela é bem mais baixa". Recebi em resposta: "Mas ela tem peitos!" Tá, eu não tenho... sou uma deformada horrorosa. Outra vez estava me depilando com cera quente. Fiz perna inteira, buço, sombrancelha e axilas. Levou mais ou menos uma hora de bastante dor. Durante aquela uma hora inteira a depiladora não parava de falar um minuto que eu parecia ter 13 anos, não era normal ser reta na minha idade, que eu tinha que procurar um médico, que tinha pena de mim... quando eu comecei a chorar, ela achou que fosse frescura por causa da dor da depilação.

 *** Ana/Mia:

 Não tenho, mas invejo quem tem, num certo sentido. Sou magra, peso 42kg. Sempre fui muuuuuuito criticada por isso. (Principalmente por mulheres, quem sabe não é inveja?), mas mesmo assim não sou bonita. Queria eu que bastasse perder peso para atingir a perfeição. Queria eu que dieta e exercícios resolvessem o meu problema. Porque daí quando eu fosse magra, estaria tudo resolvido, mas não. Eu preciso de correção cirúrgica, e depois dela homens e mulheres vão me achar bonita, mas me criticar por ser "artificial". Tem homens que gostam, tem uns que adoram, tem uns que nem percebem a diferença, mas muitos desprezam mulheres com silicone. Mesmo assim, me inspiro nas anas e mias de certa forma. Não estamos todas tentando ser lindas? Não temos objetivos, metas, dificuldades, momentos em que achamos que não aguentaremos mais, horas com vontade de desistir...? Me identifico, ou pelo menos simpatizo. Pelo menos anas e mias sabem como é estar insatisfeita com o próprio corpo e lutando contra ele, para aperfeiçoá-lo. Mas entre jejum (ana) e vômitos (mia) X reeducação alimentar e exercícios, prefiro a RA e a academia, porque é mais saudável.

 *** Motivação:

 Ultimamente, tenho me sentido pouco motivada. Para conseguir realizar meu sonho de ser bela preciso de dinheiro, e para isso preciso trabalhar... mas tem sido bem duro de conseguir. A empresa em que eu trabalho fere meus direitos trabalhistas em vários pontos, é uma desordem total... mas, se eu não engolir, não sei se consigo outro emprego no qual eu ganhe tão bem, e tenho muita pressa de realizar meu sonho, por isso preciso juntar a grana rápido. Preciso respirar fundo e pensar numa thinspo quando me sentir lesada na empresa, ou não sei como vai ser.

 *** Thinspo/Inspirações:

 Uma coisa que me deixou feliz quando eu descobri esse universo das anas e mias na internet foi ver que muitas garotas usam outras como inspiração. Vou fazer uma confissão para vocês: às vezes eu visito sites com pornografia para olhar como são as mulheres que os homens desejam, aquelas pelas quais eles sentem atração. Claro que todas são magras, com seios e quadris fartos. Vocês entedem como eu me sinto? Quero ser como elas um dia. Às vezes leio também os comentários que os homens deixam nas fotos. Elogios, geralmente em linguagem exaltada e com uma certa vulgaridade, mas justamente por isso podemos ver o quanto são sinceros. Eu quero merecê-los. Eu quero ser assim também.

 *** Metas:

 Eu estou em dúvida sobre que meta devo traçar: salvar 100% do dinheiro que ganho para fazer a cirurgia em janeiro do ano que vem, ou ir gastando com outras coisas (limpeza de pele, progressiva, mechas, curso de auto-maquiagem, clareamento) e com isso só conseguir a cirurgia em julho de 2011, mas ir resolvendo pequenas coisinhas já agora. Hoje não importa o que eu faça na minha aparência, sem a cirurgia eu não me sinto realmente bela. Mas essas pequenas coisas fazem eu melhorar de ânimo e me sentir digamos que menos mal quando me olho no espelho. Garotas, o que vocês acham?

 *** Fim

 Bem, desculpe se o post ficou imenso, justamente por isso eu dividi para quem quiser ler só algumas partes, afinal eu sempre leio o post completo mesmo que seja longo mas sei que muitas não fazem isso. Espero que vocês tenham gostado e deixem recadinhos.

Beijos

Confidenciado por Bellatrix às 21h55

Enviar esta mensagem

13/06/2010

 Olá a todas! Muito obrigada pelos comentários. Espero conseguir atingir o meu objetivo de conhecer gente nova, que ententa como eu me sinto e me apóie na minha caminhada, além de, é claro, deixar comentários de incentivo nos blogs de vocês também. Espero ter tempo de responder aos recadinhos de vocês em breve. Bem, terminando essas parte metalingüística, vamos ao post.

 Esses dias eu estava indo para o trabalho e, próximo ao ponto de ônibus, encontrei uma flor caída no chão. Dei um sorriso e fui em direção a ela: era linda, branca e rosa, não muito diferente da foto deste post. Mais adiante na calçada, haviam muitas outras caídas da mesma árvore: menores, mais secas, sem uma pétala, mas nenhuma tão bela quanto a primeira. A maioria já  havia sido pisada por outros transeuntes. Quando eu estava quase alcançando a flor, alheia a tudo ao meu redor, meu ônibus passou por mim, e por mais um segundo, eu não teria conseguido pegá-lo a tempo de chegar no trabalho.

 Assim é a beleza: nos cega para o que está à volta com seu magnetismo, nos comanda com mais força que a nossa racionalidade, nos faz esquecer a obrigação e, quando percebemos, já fomos fisgados, já agimos em função dela, porque o objetivo máximo de todo ser humano é ser feliz, e nada faz tão bem quanto a fruição estética. Seja da beleza de um formato, uma cor, uma textura, um som, um perfume...

 Assim é a beleza: eleva e aparta o seu portador de todos os outros, aos quais só resta ficar sob os pés dos poderosos, que passam pelo caminho indiferentes ao sofrimento alheio, só evitando de esmagar aqueles que se destacam pela harmonia, pela radiância, pela aparência.

 E é assim que eu quero ser: bela. No dia seguinte, encontrei a mesma flor, caída aonde estava e intacta, entre várias outras já pisoteadas. E tomei uma decisão para a minha vida: vou deixar de ser a pisada para ser a admirada. Peguei a flor e ela me distraiu das minhas dores até que o ônibus chegasse. Escrevi este texto no caminho até o trabalho e, ao descer, deixei-a no banco, para alegrar o caminho de outros no futuro. Quero ser bela não só para mim, para ser amada e bem-vista, mas também porque a beleza é um bem para tudo o que está no entorno.

 Bem verdade que a beleza é efêmera. Ela vai secar, morrer, se desfazer, eu sei. Mas até lá, já terá mudado o mundo para melhor, talvez mais do que muitos políticos, voluntários, religiosos e outros. A minha beleza também irá se desfazer, não vai durar nem uma década, e eu concordo que é melhor ser amado pelo seu interior do que pelo exterior, porque o corpo perece. Mas eu prefiro 10 anos sendo amada e bem-vista pelo meu corpo do que uma vida sendo uma intelectual solitária. Ninguém evita pisar sobre uma flor já seca, talvez um dia eu seja uma, mas ainda é melhor do que ser um eterno espinho. Até que aquela flor desidrate, se ela já durou o bastante para, por exemplo, ser fotografada e enfeitar um post, valeu a pena.

 Meninas, vamos ter motivação e perseverança, vamos alcançar nossas metas e sermos felizes como merecemos. Beijos e tenham coragem.

Confidenciado por bellatrix-bellatrix às 00h42

Enviar esta mensagem

04/06/2010

 "Todos gostam de ver coisas bonitas. Se pudesse

 escolher, você trabalharia olhando para um lago

 cristalino ou para uma parede de tijolos? (...)

 Uma pessoa bonita é como uma vela aromática, é

 agradável e ilumina o ambiente. (...) Se você pudesse

 escolher entre iluminar um ambiente ou deixá-lo às

 escuras, o que escolheria?" E.V.F., modificado

 

 Nasci geneticamente programada para ter uma aparência digna de

pena. Talvez por isso eu tenha me tornado uma pessoa culturalmente

e espiritualmente tão elevada. Excluída de todos os benefícios que a

sociedade concede para as mulheres belas, sem ter uma vida sexual

satisfatória, nem muito menos uma vida afetiva e social, me voltei para dentro de mim mesma, para Deus e para o próximo.

 

 Nunca fui desejada por um homem. Enquanto as minhas amigas iam para as baladas, eu sabia que isso seria uma perda de tempo, pois

 quando eu ia os rapazes não se aproximavam, e a volta era uma humilhação, de comparações entre a quantidade e a beleza dos rapazes que as outras tinham conquistado, enquanto eu ficava parada na rodinha de garotas, sem saber dançar, de vergonha 

inconsciente do meu corpo. Sobrou mais do que tempo para eu estudar e me erudir. Hoje eu sou aluna da USP e elas da Unip. E daí?

Sem uma vida social, isso não vem sendo o bastante para me fazer feliz.

 

 Nunca fui amada por um homem. Enquanto as meninas me procuravam, como a mais "responsável" e sábia das amigas, para pedir conselhos de suas

vidas amorosas, eu não tinha uma sobre a qual falar. Elas riram, beijaram, foram amadas, gozaram, se iludiram, choraram, seus amados partiram, elas

se entristeceram, e depois vieram outros, e outros. Mas e eu? Bem, eu me voltei para a caridade, o serviço social, Deus. As pessoas me dizem que

eu sou uma pessoa elevada entre muitas fúteis e vãs. E daí? Sem ser amada, isso não vem sendo o bastante para me fazer feliz.

 

 Nunca fui atraente aos olhos de um homem. Enquanto as demais recebiam cantadas,

 flores, alianças, presentes de Dia dos Namorados, eu... orava. Achava que esse negócio

 de priorizar a aparência era coisa de gente fútil e vulgar. Bem, hoje eu vejo que era apenas

um falso consolo para tentar justificar o meu fracasso e embasá-lo em algo supostamente

superior, melhor. Hoje eu sou uma sacerdotisa, enquanto elas nem lembram que Deus existe.

E daí? Eu nunca fui feliz de verdade.

 

 Então, resolvi tomar uma decisão: optar por iluminar o ambiente ao redor, ao invés de

ser aquela de quem as pessoas desviam os olhos. Fútil? Vulgar? Talvez. Quem me julgará,

tenho certeza que não vai faltar. Só estou tentando ser feliz, afinal. Não encontrei isso

nos livros, nos filmes, nos museus, no serviço social, nos partidos políticos. Na militância

feminista, ecologista, pró-Palestina, neopagã, nem na gótica. E também não encontrei quem no

mundo não use nada para se enquadrar em algum padrão estético, sendo mulher,

ou não procure uma mulher atraente, sendo homem.

 

 Assim, resolvi abandonar as minhas pretensões de

encontrar um príncipe encantado que me ame do jeito

 que eu sou, porque realistamente falando, eu não sou

bela, e sim, ser bonita é importante. E eu quero ter uma

 família, filhos, ser amada, ser desejada... querida... aceita.

 De agora em diante, eu me determino a mudar aquilo que me

 incomoda no meu corpo, a me tornar atraente, e assim, merecer

 amor, olhares, desejo e felicidade, como eu sempre sonhei e sei

que mereço. E então, quando eu tiver belos seios, maquiagens,

bijouterias, dentes brancos, boas roupas, saltos... os homens

 olharão para mim, e só assim eu poderei oferecer a inteligência,

 a bondade e a fidelidade que eu já tenho e que não vou perder

 por modificações externas.

 

 Então, sejam bem-vind@s ao meu blog, onde eu

espero conhecer algumas pessoas que se identifiquem,

 que gostem do que eu escrevo e com quem compartilhar

 experiências. E espero também que vocês também sejam

 adeptos do lema "não gostou, fecha!", como eu sou, pois

 não pretendo responder a comentários mal-educados.

 

 Obrigada pela visita e sinta-se convidado a deixar um

recadinho.

Confidenciado por bellatrix-bellatrix às 20h57

Enviar esta mensagem



Minha foto Perfil Morena, olhos e cabelos castanhos, lábios grossos. Muito magra, seios pequenos, cintura fina, quadris médios, com coxas grossas mas ainda magras. Cabelos ondulados e com mechas, estatura mediana. Sombrancelha bem modelada, com um rosto hexagonal, nariz delicado, pescoço longo, mãos de dedos esguios e delicados, terminando em unhas longas e ovaladas. 1,63m, 42kg, 70cm de busto, 60cm de cintura e 85 de quadril. Sonha em um dia ser verdadeiramente bela, com silicone nos seios, dentes clareados, sem estrias, com longas sessões de limpeza de pele e nada do que se queixar. Na verdade tem outros sonhos também (terminar a graduação que faz em História na USP; ser útil ao mundo através da militância política e do voluntariado feminista, ecologista e pró-Palestina; ter um bom emprego; conseguir um homem que a ame). Mas este blog especificamente não é para falar deles. Em nome do anonimato, pode me chamar de Tally.



Wishlist

* Silicone nos seios

* Clareamento dentário

* Tratamento para as estrias

* Limpeza de pele

* Depilação definitiva

* Escova progressiva

* Mechas no cabelo

* Curso de auto-maquiagem da Contém 1g

* Sa-pa-tos! (Chega de andar de tênis como uma menina)

* Roupas novas

* Piercing no umbigo

* Um marido (/objetivo final)

Frases

* Uma coisa bela persuade por si mesma, sem necessidade de um orador.

* O maior de todos os bens é a beleza da mulher.

* A beleza não elimina a tragédia, mas a torna suportável.

* A beleza torna sempre a virtude mais amável.

* Ainda não vi ninguém que ame a virtude tanto quanto ama a beleza do corpo.

* A beleza é a melhor carta de recomendação.

* A beleza é o acordo entre o conteúdo e a forma.

* A beleza age mesmo sobre aqueles que não a constatam.

* O império da beleza não conhece rebeldes.

* A verdade pára na inteligência; a beleza chega até ao coração.

* Não serve para nada ser-se jovem sem beleza, nem bela sem juventude.

* ....Óh Beleza tão antiga e tão nova, quão tarde Te amei...

* Dizes que a beleza não é nada? Imagina um hipopótamo com alma de anjo... Sim, ele poderá convencer os outros de sua angelitude - mas que trabalheira!

* A beleza é a única coisa preciosa na vida. É difícil encontrá-la - mas quem consegue descobre tudo.

Inspirações



Ensolarando-me

O céu é belo? Claro que sim, qualquer um pode responder. Mas há algo de melancólico em um céu nublado e cinza. Para os sensíveis, mesmo nele há beleza. Mas não é muito melhor quando há luz e calor? Quando há brilho, radiância, azul e resplandecência? Talvez eu já seja bela, afinal. Creio que todos somos, por essência. Mas há algo faltando. Aquele irradiar que transmite felicidade é o que eu quero ter. Talvez hoje eu seja bela como um céu nublado, do jeito que vim ao mundo, ao natural. Mas eu quero mais. Quero passar por um processo de alvorecer, me embelezar. Ir ensolarando-me. Me acompanha?

Quem sou?

Tally Youngblood, uma anti-heroína. Se debatendo entre a lealdade a seus ideais e amigos e a realização dos seus fúteis sonhos. Feia, mas pretende superar isso a qualquer preço. Tem defeitos piores, mas é esse o que realmente a incomoda neste momento. No fundo, não passa de uma garota solitária em busca de um pouco de aceitação social e afeto. Valerá a pena?

Link-Me



Links!



Contador


]]> alert('Seja bem-vindo(a)! Obrigada pela visita e não deixe de comentar');